Sexo pode ser considerado atividade física, diz especialista

Sexo pode ser considerado atividade física, diz especialista

Em média, seria o mesmo que subir correndo três lances de escada.

Você sabia que o sexo, além de dar prazer e melhorar o humor, ainda é considerado uma atividade física? A boa notícia é que, como qualquer movimento praticado de forma regular, o sexo também pode queimar algumas calorias.

O cardiologista Dr. Nabil Ghorayeb, especialista em Medicina de Esporte e diretor da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), explica que a relação sexual normal equivale a uma atividade física de intensidade leve a moderada.

? Dez minutos é o tempo médio que o brasileiro demora em uma relação sexual e isso representa uma queima de cem calorias, o equivalente a subir correndo três andares de escada.

Apesar de não ser suficiente para perder peso, o cardiologista explica que quanto mais tempo na cama maior é o gasto energético. Segundo ele, uma pessoa de 80 kg que faz sexo durante uma hora pode perder até 600 calorias, o que representa caminhar de forma acelerada (6 a 7 km por minuto) durante o mesmo período.

No entanto, é importante esclarecer que nem toda atividade física é um exercício. O professor de educação física Mauro Guiselini, da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), comenta que a atividade física é um termo genérico que significa fazer qualquer movimento, como lavar louça, arrumar a casa ou varrer o chão. Já o exercício físico é uma prática frequente e regular de movimentos corporais.

? A atividade física é considerada um exercício quando são levados em conta os seguintes parâmetros: frequência, intensidade, duração, batimentos cardíacos, massa corpórea do indivíduo e quantidade de músculos que estão envolvidos no movimento. E isso vale também para o sexo.

Benefícios

Além da sensação de bem-estar, o sexo melhora a libido e alivia a tensão e o estresse. Isso porque, em qualquer atividade física que praticamos, o corpo libera endorfina, o conhecido hormônio do prazer.

Além disso, movimentar o corpo com frequência também contribui para um melhor desempenho sexual, já que qualquer exercício ajuda na circulação sanguínea e aumenta a capacidade física do indivíduo.

Para aqueles que costumam fazer alongamento, a flexibilidade colabora para uma melhor movimentação durante o ato sexual.

Sinal vermelho

Ao contrário do que muitos pensam, o sexo não tem contraindicação. No entanto, os especialistas reforçam que em alguns casos os cuidados precisam ser redobrados. Ghorayeb até brinca que pacientes recém-operados podem ter relação sem medo.

? É importante que os pacientes pós-operados do coração evitem peso sobre o tórax nos primeiros dois meses após a cirurgia. Nesse caso, a solução é escolher posições diferentes.

Guiselini enfatiza que portadores de doenças crônicas, como obesos e hipertensos, devem ter acompanhamento profissional. Como os batimentos cardíacos aumentam durante o ato, o quadro clínico do paciente pode piorar.

? O excesso de peso pode prejudicar a libido e desenvolver problemas de ereção no homem. Nesse caso, vale uma conversa com o médico antes de tomar qualquer tipo de medicação para o problema.

Além dessas doenças, Guiselini lembra que estresse, cansaço e tensão também atrapalham o desempenho sexual.

Para o sedentário, algumas dificuldades também podem aparecer durante a relação sexual. De acordo com o educador físico, pessoas que fogem dos exercícios não desenvolvem um bom condicionamento corporal e, como consequência, têm mais chances de apresentarem fadiga precoce dos músculos (a famosa câimbra) na ?hora H?. Para evitar esse constrangimento, comece agora a se movimentar.

Fonte: R7, www.r7.com