Sine já conta com 18 postos de atendimento no Piauí

"Só na sede do Sine, são atendidas mais 300 pessoas por dia

O Sistema Nacional de Emprego no Piauí (Sine/PI) tem ampliado o número de unidades e descentralizado atendimentos. Atualmente, o programa já conta com 18 postos de atendimento no Estado. São quatro unidades só em Teresina. A medida tem como objetivo atender o maior número de trabalhadores.

O Sine, além de oferecer a intermediação entre o trabalhador e a empresa, realiza desde a captação de vagas, qualificação de mão de obra ao direcionamento do profissional no mercado de trabalho. E ainda tem expedido carteiras de trabalho e seguro-desemprego.

Segundo Juliana Gois, coordenadora estadual do Sine/PI, com a descentralização dos serviços, o Sine tem conseguido facilitar o acesso do trabalhador às vagas e eliminar a comercialização ilegal de senhas no local.

"Só na sede do Sine, são atendidas mais 300 pessoas por dia.A gente consegue receber prontamente todas as pessoas que buscam nossos serviços. Ninguém precisa mais dormir no local para conseguir vagas e acabamos com a comercialização de senhas. Temos sido como uma ponte do trabalhador com as empresas", explica a coordenadora, que garante que o programa tem acompanhado o profissional desde o cadastro à resposta do empregador.

Para Juliana Gois, com a ampliação dos serviços prestados o Sine tem apresentado um público variado, são pessoas de classe baixa a alta. "Hoje, o trabalhador que busca o Sine não é apenas aquele trabalhador de classe baixa.

Atendemos o de classe média e alta. Tanto para expedição de carteira, como para a qualidade das vagas oferecidas. Não são apenas vagas para pessoas de pouca qualificação, mas também bem qualificadas. Naturalmente, quando se tem público variado, você tem que ter suporte para atendê-lo", explica.

A coordenadora do Sine/PI destaca que a falta de qualificação do profissional é o que mais dificulta para que este obtenha êxito. "Um dos nossos principais problemas é a falta de qualificação do trabalhador, isso o impede que ele esteja no mercado de trabalho. Estamos buscando colocar no mercado o trabalhador, mas um trabalhador qualificado", pontua.

Casa do Trabalhador é o novo projeto do Sine/PI

O Projeto Casa do Trabalhador está em fase de elaboração, no entanto, o que a coordenadora do Sine/PI, Juliana Gois, pode antecipar à equipe Meio Norte é que se trata de um centro de qualificação voltado ao trabalhador. E já conta com parceria da Secretaria de Administração, Secretaria do Trabalho e do Governo do Estado.

"Com o Projeto Casa do Trabalhador, o Sine não vai acabar. O que vai acontecer é que a sede do Sine será transferida para um espaço na região central, maior e melhor estruturado. Será em um prédio que está sendo reformado com condições de acessibilidade e de conforto para o trabalhador ser atendido", esclarece.

Juliana Gois revela ainda que o novo espaço permitirá também a expedição do Registro Geral (RG) e contará com uma agência de empreendedorismo. A previsão é que seja finalizado até o final de dezembro deste ano.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele