Soma de esforços é a fórmula que garante uma educação de qualidade

Participação conjunta garante o sucesso da escola


Image title

A entrada da escola já anuncia uma organização diferenciada do que se está acostumado. Alguns alunos estão em sala, outros em um período curto de recreação.

Mas todos com o mesmo foco: aproveitar ao máximo o tempo no Centro de Ensino Fundamental de Tempo Integral (Cefti) Prof. Raldir Cavalcante Bastos, localizado na conjunto Renascença II, zona Sudeste de Teresina.

A escola atende atualmente 390 alunos em regime de tempo integral, distribuídos no Ensino Fundamental (7º ao 9º ano) e 1º ano do Ensino Médio. Mas, em 2009, cerca de 270 alunos, do fundamental maior e menor, formavam o quadro de alunos.

Foi neste mesmo ano que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o Ideb, do Raldir Cavalcante foi de 6.2, meta que o Brasil fixou para suas escolas em 2022. O Ideb é calculado com base no aprendizado dos alunos em português e matemática (Prova Brasil) e no fluxo escolar (taxa de aprovação).

“Em 2009, começamos a funcionar em tempo integral e a trabalhar voltados para o rendimento dos alunos. Antes, não tínhamos tanta preocupação em medir o rendimento deles.

Agora fazemos isso observando todas as habilidades e competências que eles estão adquirindo”, comenta o diretor do Centro, Carlos Eduardo Rodrigues.

Os programas, projetos, a dedicação dos professores, do núcleo gestor e a presença de pais e responsáveis na escola continuaram e garantiram, em 2013, o Ideb de 7.1, o índice de aprovação de 98,78% e a evasão escolar inexistente.

Todos os dias previstos no calendário escolar foram cumpridos e 100% dos alunos foram alfabetizados ao final da primeira série.

De acordo com Carlos Eduardo, a fórmula mágica foi envolver os pais na educação dos filhos e nas atividades da escola. No Raldir Cavalcante, as aulas também são planejadas e acompanhadas diariamente; com registro das tarefas feitas e frequência dos alunos.

“É um trabalho em equipe, feito com muito afinco, que vem de vários anos e que a gente sensibiliza tanto o aluno quanto a comunidade escolar como um todo, para que eles entendam que a escola só tem bons resultados quando tem uma participação conjunta”, acrescenta.


Image title


Fonte: Aline Damasceno