Sujo e abandonado, mercado não tem previsão de reforma na z.Sudeste

Permissionários querem reforma e melhorias estruturais. Boxes abandonados são utilizados por usuários de drogas

Os permissionários do Mercado do Dirceu II, localizado no bairro da zona Sudeste de Teresina, denunciam que o espaço está completamente deteriorado, o que denota um certo abandono por parte das autoridades.

Mercado Dirceu II


Estruturalmente, o local está bastante danificado, do chão ao teto. A comunidade já procurou as autoridades competentes diversas vezes, mas nenhuma promessa foi cumprida.

Com 28 anos no Mercado do Dirceu II, João Alexandre, que vende carnes, reclama da situação. “Aqui precisa de boxes, uma estrutura de verdade para darmos um melhor atendimento aos nossos clientes, além de melhorar a questão da higiene. Aqui é muito sujo”, afirma.

Mais à frente, quem também reclama é José Arcanjo, vendedor de verduras. “Aqui falta um mercado mesmo.

Precisam melhorar o teto. Quando chove, molha tudo. Eu mesmo tive que fazer o meu teto, gastei quase 5 mil reais para ter essa estrutura que trabalho”, comenta.

A vendedora de frangos Maria Hilda diz que o que não falta no mercado são animais, que formaram um verdadeiro ecossistema no local. Essas zoonoses podem ser vetoras de enfermidades. “Aqui está cheio de goteiras. Eu mesma as tirei para não chover aqui dentro. O teto tá muito ruim, e só o que tem é rato, barata, moscas...”, lamenta.

Passeando pelos corredores é possível observar como tempo foi cruel com o local, que carece de melhores condições de acolhimento aos comerciantes e clientes. As consequências do abandono são muitas, mas o que mais entristece a população é ver os boxes sendo abandonados e os clientes procurando outros locais para fazer as compras. A dona de casa Zenaide da Silva é uma delas. Atualmente, ela evita o Mercado do Dirceu II, preferindo o do Dirceu I.

“O mercado tem que ser limpo, quase não compro mais aqui. Prefiro outros mercados da região, que têm melhores condições de higiene”, diz.

SDU/Sudeste não tem projeto de reforma

Em razão da grave situação vivida pelos permissionários do Mercado do Dirceu II, a reportagem buscou informações junto à gerência de obras da Superintendência de Desenvolvimento Urbano da Zona Sudeste. De acordo com as informações colhidas, não há nenhum projeto em andamento licitatório que vise a reforma do espaço.

Segundo Marcos Rogério Ribeiro, o gerente de obras do órgão, “encaminhamos um projeto licitatório para o Mercado do Gurupi e estamos recuperando o Mercado do Dirceu I, mas não temos nenhum projeto no Mercado do Dirceu II. É que o terreno é do Estado, e o que queremos é municipalizar e fazer uma reforma totalmente nossa”, diz.

Procurado pela reportagem, o Governo do Estado do Piauí, através da Secretaria de Fazenda, não apresentou nenhum retorno até o fechamento desta edição. Enquanto isso, os permissionários e clientes continuam convivendo com os malefícios trazidos pela sujeira e o abandono do local

Boxe é utilizado por usuários de drogas

Uma das principais reivindicações dos permissionários do Mercado do Dirceu II é a retirada de um boxe abandonado, que está sendo utilizado por pessoas com problemas de drogadição para fazer uso de entorpecentes. Pelo chão, muita sujeira, como latas cortadas pela metade, que são usadas para o consumo de crack.

“Aqui está horrível, muito triste para nós. Não temos freguesia porque é o maior fedor que vem daí de dentro. Os ‘malas’ podem até estuprar as pessoas aí dentro, fora os assaltos. É um absurdo!”, denuncia a permissionária Maria de Sá.


Fonte: Lucrécio Arrais