Super-galinha caipira de até 5 kg chega à agricultura familiar do Piauí

A proposta foi apresentada na quinta-feira ao governador Wellington Dias como alternativa de aumento de renda de agricultores familiares no Piauí.

A proposta de uma super-galinha caipira, que pode chegar até 5kg em apenas 90 dias, foi apresentada na ultima quinta-feira (05) ao governador Wellington Dias como alternativa de aumento de renda de agricultores familiares no Piauí. ?A idéia é trazer para o Piauí aquilo que deu certo no Paraná. A Globoaves, de Cascavel ? PR, que é o maior grupo do Brasil na produção de pitainhas (pintinhos de um dia para venda) ? mais de 40 milhões/dia ? detém um know-how muito grande nesta área?, disse Hideraldo Dotto, presidente da Coopercerrado ? Cooperativa Agroindustrial dos Cerrados Piauienses.

Na oportunidade, o diretor da COOPERCERRADO Rogério Rizzardi apresentou um dos diretores executivos da Globoaves, José Saldi Kaefer (que esteve em Teresina na oportunidade), ao chefe do executivo piauiense.

Segundo Dotto, a empresa está preparada para fornecer os pintainhos, além de também está disposta a entrar numa parceria com a Coopercerrado para construção de uma fabrica de rações, que é a base da alimentação dos pintainhos nos primeiros 30 dias. ?Esta proposta vem complementar o projeto da galinha caipira que está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado. Mas, é preciso organizar a cadeia produtiva: produção, industrialização, distribuição e venda. Então, a Globoaves e a Coopercerrado estão vindo aí para fechar este ciclo?, completa Hideraldo.

De acordo com o diretor José Saldi, a proposta já está sendo encaminhada com bastante sucesso nos estados de Alagoas e Pará, além de outros paises da África e da América Latina como Angola, Moçambique, Argentina e Venezuela. ?Em Alagoas, o Governo está tocando este projeto totalmente com uma receptividade muito boa. Nosso objetivo é fazer o fomento, dar assistência e fornecer a matéria prima?, finalizou Saidi.

Mais sobre a super-galinha caipira.

Geneticamente modificada, a super-galinha caipira é fruto de uma tecnologia de cruzamento de raças originalmente francesas e americanas. De acordo com o professor Flávio Lázzari, que é associado e diretor da Coopercerrado e especialista em tecnologia de armazenamento, trata-se de uma galinha mais pesada, mais rústica, que pode chegar a 4,5 ou 5 kg em 90 dias. O sabor da carne é melhor porque ela anda mais, tem um trato mais natural, pois (depois do primeiro mês) pode se alimentar de grama, raspa de mandioca e milheto (que pode ser oferecido à galinha sem precisar quebrar o grão).

Segundo ele, em restaurantes especializados, está galinha tem uma grande aceitação, pois é uma carne mais saborosa do que o frango industrial. ?A relação é de um galo para cada 10 galinhas. Além disto, os ovos têm uma proteína extraordinária e de fácil estocagem. Acreditamos que uma galinha caipira, através de uma galinha orgânica ou convencional caipira, pode dar uma estrada de recursos maior, usar os recursos já existentes na propriedade, além de apresentar baixo risco. A Coopercerrado pode se encarregar com a compra do produto, pois o grande problema da pequena produção é a comercialização. A Coopercerrado pode também oferecer ração, assistência técnica e, através de um convenio com a Globoaves, oferecer os pintainhos e a vacinação. Então, nós teríamos um projeto que tem começo, meio, fim e um fim que se retro-alimenta?, finaliza Lázzari.

Fonte: Ascom