Suspeita de chikungunya pode ser parvovírus, afirma Amariles Borba

A doença afeta principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico deficitário, causando sintomas semelhantes aos da dengue e da febre chikungunya

Nem dengue, nem chikungunya. A virose que assola grande parte dos teresinenses e deixou muitos de cama nos primeiros meses de 2015 na verdade pode ser uma doença causada pelo parvovírus B19. A doença afeta principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico deficitário, causando manchas vermelhas por todo o corpo, febre moderada, fraqueza e dores nas articulações. Os sintomas da doença se identificam com as síndromes amplamente infecciosas do período chuvoso e sua origem não foi definitivamente identificada, o que gerou diversos transtornos com automedicação.

Parvovírus


A boa notícia é que a doença não possui uma avaliação de risco. E uma vez que o paciente contrai a doença, ele se torna imune ao vírus e não pegará a virose mais de uma vez. Mas isso não significa dizer que o tratamento da doença não exija cuidados.

A dona de casa Deusa Coelho contraiu a doença nesta semana e conta que passou dias de cama. Acometida por febre, fortes dores e manchas no corpo, ela conta que a doença quase a ‘’derrubou’’. “As manchas vermelhas no corpo foram tão intensas que uma delas entrou em erupção. Estou ficando melhor da doença, mas a custo de muito remédio e medicação”, conta.

Amariles Borba, superintendente da FMS, esclareceu a dúvida de muitos teresinenses que contraíram a doença e experimentaram os mesmos sintomas da febre chikungunya - dores nas articulações, febre alta, conjuntivite, manchas no corpo -, mas tiveram resultado negativo, podem ser vítimas de uma variação ou mutação do vírus transmissor da doença, embora o fato ainda não possa ser confirmado cientificamente.

“A tecnologia ainda não avançou ao ponto de detectarmos com urgência e precisão a ‘carteira de identidade’ do vírus que está causando esta onda de viroses. Os exames sanguíneos de pacientes foram negativos para dengue, chikungunya e outra série de outras viroses conhecidas e isto pode indicar que se trata de uma variação da síndrome do chikungunya. Mas também podemos estar falando de outra virose com sintomas similares”, destaca Amariles Borba.

Os sintomas do parvovírus B19 estão por trás do ‘’Eritrema Infeccioso’’, uma doença misteriosa que afetou centenas de pessoas em Teresina. Com sintomas que se assemelham à dengue ou à febre chikungunya, a doença ainda não foi completamente identificada, o que acabou gerando diversos problemas com a automedicação. Entretanto, nos hospitais das redes pública e particular, os casos são tratados como dengue. A doença é contagiosa antes mesmo dos primeiros sintomas aparecerem, mas, uma vez que a doença se manifesta, ela deixa de se tornar contagiosa.

Alguns adultos não costumam desenvolver erupções e manchas no rosto, pois os sintomas mais comuns são as dores nas articulações, que podem durar dias e até semanas. As articulações comumente mais afetadas são as mãos, pulsos, joelhos e tornozelos. Para se curar mais rápido, repouso e ingestão de líquidos estão entre as ações mais acertadas. Se há dor nas articulações ou dor de cabeça, podem-se administrar analgésicos conforme o aparecimento dos sintomas. Contudo, também é necessário aguardar que o corpo combata o vírus, podendo levar de uma a três semanas.

Fonte: Olegário Borges