Suspeita de paralisia e raiva no PI

Ele conta que uma garota de sete anos, antes de morrer em Cocal, se debatia, mordia e beliscava

Est?o acontecendo no Piau? investiga?es feitas por especialistas e epidemiologistas de suspeita de raiva humana e paralisia pl?cita. Equipes da Secretaria Estadual de Sa?de est?o espalhadas em v?rios munic?pios do Piau? apurando mortes com suspeita de raiva humana e de paralisia.

No final das investiga?es essas possibilidades podem ser at? descartadas, mas ? obriga??o da Secretaria Estadual de Sa?de estudar at? a exaust?o para descartar completamente as suspeitas.

O diretor geral do Instituto de Doen?as Tropicais Nathan Portella, Carlos Henrique Nery Costa, afirmou que pelo menos dois casos entre as mortes ocorridas no munic?pio de Cocal podem ser de raiva humana.

Ele conta que uma garota de sete anos, antes de morrer em Cocal, se debatia, mordia e beliscava as pesoas e na casa de sua fam?lia tinha muitos morcegos. Carlos Henrique Nery Costa declarou que o irm?o da garota, um jovem de 23 anos, morreu 20 dias depois no Rio de Janeiro. ?Estava no per?odo de incuba??o da doen?a e ? poss?vel que o irm?o tenha sido contaminado pela saliva?, afirmou Carlos Henrique Nery Costa, que tamb?m foi a Cocal participar das investiga?es sobre as mortes ocorridas no munic?pio.

?Solicitamos que o material do irm?o da garota fosse examinado no Rio de Janeiro?, falou Carlos Henrique Nery Costa. A gerente de Vigil?ncia de Sa?de da Secretaria Estadual de Sa?de, Maria Augusta Soares, disse que em Cocal n?o aconteceu nada que fuja do controle da Secretaria de Sa?de, da Vigil?ncia Epidemiol?gica e da Vigil?ncia Ambiental.

Segundo ela, os ?btitos aconteceram e n?o tiveram uma seq??ncia r?pida. ?Esses ?bitos ocorreram a partir de julho e uma morte n?o tem nada a ver com a outra e nenhum dos ?bitos ? de doen?a que pode colocar em risco a sa?de da popula??o?, falou Maria Augusta Soares.

?A equipe de vigil?ncia epidemiol?gica foi a Cocal fazer a investiga??o, houve a discuss?o?, declarou Maria Augusta Soares. Ela afirmou que a equipe de vigil?ncia epidemiol?gica foi para Cocal por causa da morte de jovens e crian?as quase na mesma faixa et?ria. Segundo ela, uma das crian?as mortas tinha 11 anos, al?m de uma menina de 17. ?A faixa et?ria dos mortos era de crian?as e adolescentes?, falou Soares.

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com