Suspeito de matar advogada está na UTI após capotar carro dela

Suspeito de matar advogada está na UTI após capotar carro dela

Ele trabalhava em uma chácara perto da cidade e era ex-marido de uma mulher que havia trabalhado na casa de Alessandra.

Está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Rondonópolis, a 218 quilômetros de Cuiabá, o jovem de 24 anos suspeito de roubar e matar a advogada Alessandra Martignago, na sexta-feira (29), em Primavera do Leste, a 239 quilômetros da capital.

O paraguaio Cristiano Inácio dos Santos capotou a caminhonete da vítima durante perseguição policial após o crime. Ele levou um tiro na perna ao tentar fugir da polícia e teve ferimentos graves devido ao acidente.


Suspeito de matar advogada está na UTI após capotar carro dela

De acordo com a assessoria da unidade de saúde, o suspeito está em coma induzido e não há previsão de alta. Ele trabalhava em uma chácara perto da cidade e era ex-marido de uma mulher que havia trabalhado na casa de Alessandra. Conforme um amigo da vítima, a advogada estava atuando no divórcio do casal e, segundo a Polícia Civil, que investiga o caso, há indícios de que ele estava "apaixonado" por ela.

Ele sofreu o acidente e foi preso depois que a família denunciou à polícia ter visto o criminoso andando pelas ruas da cidade no carro da advogada. Alessandra estava sozinha em casa quando o suspeito invadiu a residência, após pular o muro lateral. Segundo o delegado regional Percival Eleutério, há sinais de que a vítima teria tentado se defender dele antes de ser morta com uma facada no pescoço.

"Ela reagiu. Estava toda espancada, machucada, mas não havia sinais de violência sexual. Ela estava nua, mas pode ser porque teria saído do banheiro", disse o delegado. Após matá-la, o suspeito fugiu na caminhonete da vítima, levando a bolsa dela, contendo cerca de R$ 5 mil em dinheiro, e documentos pessoais. Com ele, a polícia também apreendeu objetos furtados da casa da advogada há alguns dias.

Conforme a polícia, momentos depois do assassinato, a família de Alessandra chegou na casa e viu que o carro dela não estava e a residência estava fechada, sendo informada por um vizinho de que alguém havia saído com o veículo da advogada. "A irmã dela viu um homem com duas mulheres no carro e chamou a polícia", explicou o delegado. Na perseguição policial, um dos disparos atingiu a perna do suspeito.

Um amigo de Alessandra disse que o corpo dela foi sepultado neste sábado (30) em um cemitério da cidade. O empresário Evandro Zanatta contou que estava chocado com o assassinato e que nunca a ouviu dizer sobre uma obsessão que o criminoso teria por ela, como a polícia concluiu após ele ter levado fotografias, perfumes e até peças íntimas dela.

"Ela nunca chegou a comentar sobre essa obsessão que ele teria, o que sabemos é que ela estava atuando no divórcio dessa ex-empregada com o suspeito do crime", relatou o amigo.

Por meio de nota, a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT) cobrou que o caso seja investigado e a punição do autor do crime.

Fonte: G1