"Tá todo mundo míope", diz mulher de Cachoeira sobre título de musa

"Tá todo mundo míope", diz mulher de Cachoeira sobre título de musa

Ela prepara cerimônia de casamento para depois que marido deixar prisão

Mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, a empresária Andressa Mendonça, de 30 anos, disse nesta sexta (1) que não se sente confortável como "musa da CPI", rótulo que recebeu ao comparecer à sessão da comissão na qual o marido foi levado para depor mas se recusou a responder às perguntas dos parlamentares.

Segundo ela, a prioridade neste momento é cuidar dos filhos e da defesa de Carlinhos Cachoeira. Nestas quinta (31) e sexta, a Justiça Federal de Goiânia ouviria 15 testemunhas e sete réus no processo em que o contraventor é acusado de comandar uma quadrilha que explorava o jogo ilegal. Mas uma decisão provisória (liminar) do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) suspendeu os depoimentos. Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, está preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília.

"Não acho que sou musa. Tá todo mundo míope", disse à reportagem por telefone. A reportagem esteve, na manhã desta sexta-feira (1º), no condomínio de luxo em Goiânia onde mora o casal. Ela não quis receber a equipe, mas concordou em falar por alguns minutos pelo telefone. "Estou toda desarrumada, ajudando meu filho a fazer tarefa", contou.

Andressa Mendonça afirmou que, "apesar de não entender muito de direito", a suspensão dos depoimentos favorece seu marido. "Acho que ele ganha tempo para se encontrar com a defesa, se defender." Ela disse que a última vez que falou com Cachoeira foi na última terça (29). "Eu estou achando ele otimista, confiante, todos nós estamos confiantes", declarou.



A empresária tem dois filhos, um de 4 e outro de 6 anos, com o ex-marido, Wilder Pedro de Morais, suplente do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), que responde a processo disciplinar no Conselho de Ética do Senado por ter supostamente usado o mandato para beneficiar Cachoeira. O senador nega as acusações, mas não o fato de ser amigo do contraventor.

Além dos dois filhos de Andressa, Cachoeira também tem outros três filhos - dois meninos de 14 e 9 anos e uma menina de 6 - com Andréa Agrígio, a ex-mulher, que atualmente dirige a indústria farmacêutica Vitapan. Para a PF, a empresa é comandada pelo bicheiro. O Ministério Público Federal pediu bloqueio das contas da empresa por suspeitar que era utilizada para lavagem de dinheiro, e a empresária foi convocada a prestar esclarecimentos na CPI.

De acordo com Andressa, os filhos estão sofrendo "muita pressão". "Os filhos estão com muita saudade. É um pai presente, um pai amoroso. Ontem [quinta] o filho mais velho veio aqui, está fazendo tratamento psicológico. [...] É muita pressão. Estão matando muita aula, coleguinhas comentam, a gente também tá sofrendo muita pressão", disse.

Casamento

Ela contou que já tem tudo pronto para casar oficialmente com Cachoeira assim que ele deixar o presídio. O casamento estava marcado para maio, mas foi adiado. Andressa, no entanto, não quis dar detalhes de como será a cerimônia. "A gente conversou. Estou esperando a saída, que ele saia para a gente casar. Está tudo definido", afirmou.

Andressa disse passar "tempo quase integral" cuidando de questões referentes à defesa do marido. "Vida social não tenho mais enquanto ele não estiver aqui fora."

Apesar de ter deixado de frequentar festas, ela afirma que continua indo ao salão de beleza frequentemente para se preparar para quando o marido sair.

"Estou me cuidando, claro, para ele. Às vezes quando eu vou visitá-lo com os irmãos, a família dele, eles dizem: "Não sei por que você se arruma tanto". Mas a pessoa já tá presa e ainda vai encontrar mulher feia? Ninguém merece."

Loja de lingerie

Em um dos shoppings considerados mais luxuosos de Goiânia, fica a loja de lingerie de Andressa. Segundo a gerente, ela não tem freqüentado o estabelecimento com tanta frequência nos últimos três meses, desde que o marido foi preso.

?Têm pessoas que chegam aqui, entram na loja, só para perguntar como está a Andressa. Chega a ser meio constrangedor?, conta a gerente Carlene Pereira dos Santos.

A loja tem sido comandada pela irmã de Andressa, Andréa, mas a atual mulher de Cachoeira ajuda a escolher cada uma das peças de lingerie expostas na loja, diz a gerente. ?Ele sempre vem conferir as novidades, e até leva para ela", conta.

Andressa também confere pessoalmente cada uma das novidades que chegam para incrementar o ?cantinho do fetiche?, um pequeno espaço na loja onde ficam artigos eróticos.

Para entrar lá, as funcionárias fecham as cortinas de veludo vermelho para fazer a demonstração dos apetrechos sexuais que fazem mais sucesso na loja.

A ex de Cachoeira

A pouco menos de um quilômetro do shopping onde fica a loja de Andressa, mora Andréia Aprígio, ex-mulher e mãe dos três filhos do contraventor.

Ela mora em um dos prédios mais elegantes e com o metro quadrado mais caro da capital de Goiás, o Excalibur. A reportagem esteve no prédio, mas não conseguiu falar com Andréa, que tem motorista particular e, desde a prisão de Cachoeira, recebe menos visitas, segundo o porteiro, que preferiu não se identificar.

?Os amigos sumiram. Só os advogados que têm vindo bastante aqui?, disse um dos porteiros, que disse trabalhar há mais de 15 anos no prédio.

Ela faz as unhas uma vez por semana, sempre no mesmo salão, a poucos metros da entrada do apartamento. ?É como se ela nem tivesse sido a esposa do Cachoeira. Ela é muito simples, anda de chinelinho?, disse a dona do salão Lenne House, Marlene Ferro.

Marlene é dona do salão há 23 anos. Costuma atender pessoas ?famosas da sociedade de Goiânia?. Devido à clientela sofisticada, instituiu uma regra dentro do salão. ?Funcionário meu não pode conversar com cliente, ficar procurando saber de marido, essas coisas?, contou.

A ex de Cachoeira costuma fazer pé e mão sempre com a mesma profissional, e leva os próprios esmaltes ao salão.

Foi no mesmo salão freqüentado pela ex-esposa de Cachoeira que a filha do senador Demóstenes Torres foi preparada para ser dama de honra do casamento do senador no ano passado, conta a dona do estabelecimento.

Pelas bodas, Demóstenes e a nova esposa receberam de presente de Cachoeira uma cozinha completa, o que foi alvo de polêmica na CPI do Congresso.

Fonte: G1