Táxis de Timon passam por inspeção para atualizar taxímetro

O procedimento está agendado para o dia 20 e 30 de outubro.

Todos os táxis de Timon serão inspecionados até segunda-feira (19). A ação da Prefeitura Municipal de Timon, através do Departamento Municipal de Trânsito (Dmtrans), tem como objetivo agilizar a atualização tarifária dos taxímetro. Essa medida segue o Decreto Municipal nº069, de setembro de 2015, que atualiza o preço nas tarifas. Com base nas novas planilhas ficam acertados os novos valores: R$3,79 a bandeira inicial; R$ 2,25 a bandeira um; R$ 2,70 a bandeira dois e tarifa horário em R$ 18.

Segundo Jeremias Sampaio, diretor do Dmtrans, o procedimento de inspeção será feito em turnos. “Estaremos atuando em conjunto com o Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq), que é responsável em verificar se o taxímetro está funcionando de acordo com os parâmetros de medição. Para atendermos a todos os 167 taxistas de Timon vamos dividi-los por turnos”, explica.

Após a inspeção serão agendados os retornos para que os permissionários mudem a tarifa dos taxímetros, que serão lacrados após a vistoria do Inmeq. Isto garante um padrão de qualidade entre os taxistas e evita a ação de veículos clandestinos. O procedimento está agendado para o dia 20 e 30 de outubro.

Para Leonardo Riotinto de Oliveira, agente metrológico do maranhão, a aferição vai otimizar o processo fiscalizatório no município. “Nossa missão em Timon é verificar junto a esses permissionários, se os valores estabelecidos pela tabela são condizentes com o que está sendo cobrado nos taxímetros, para assim, aqueles que atenderem aos padrões, possam receber o certificado de verificação do INMEQ. Posterior a esse trabalho, o nosso intuito é realizar fiscalizações anuais no município”, afirma.

As mudanças tarifárias foram acordadas entre a Prefeitura Municipal de Timon, cooperativas de táxis e representantes do Inmeq na última quarta-feira (14). Na ocasião a prefeitura pode garantir políticas de proteção e orientação que garantem os direitos dos usuários e os cooperados solicitaram a reformulação das tarifas.

Fonte: Lucrécio Arrais