91% dos internautas conhecem Twitter

O crescimento do Twitter foi surpreendente em várias frentes, principalmente pela adesão

O Orkut já havia mostrado que o brasileiro adora as redes sociais. Mas o Twitter, criado em 2006, foi o grande fenômeno da rede este ano, aqui entre nós. Números do Ibope Nielsen Online mostram que, dos 31 milhões de brasileiros que navegam em redes sociais, 8,7 milhões visitam o Twitter mensalmente. E mais: segundo o Instituto QualiBest, 91% dos internautas brasileiros conhecem ou já ouviram falar do microblog - e 34% têm uma conta registrada no serviço.

Roberto Cassano, diretor de estratégia da empresa de marketing digital Frog, acompanhou a onda:

- Trabalhamos há dois anos focados em redes sociais. O crescimento do Twitter foi surpreendente em várias frentes, principalmente pela adesão. No começo do ano ele não era nada.

Em junho, o Brasil assumiu a liderança em penetração do Twitter. Cerca de 15% dos 34 milhões de brasileiros que acessaram a internet no mês - visitaram o serviço de microblog, segundo o Ibope Nielsen Online. Com isso, o Brasil está em quinto lugar entre os países com maior número de usuários. Não por acaso, ganhará sua versão em português ano que vem.

No ranking mundial dos twitteiros mais populares, Luciano Huck é o primeiro brasileiro a aparecer na lista, em 87 lugar, com mais de 1,3 milhão de seguidores. Na lista da twittosfera em português, o jornalista Marcelo Tas está em sétimo lugar, com 455 mil fãs.

- Meu interesse veio junto com o CQC, em 2008. Quando o programa estreou descobri que conseguia fazer buscas retroativas e ler tudo que se comentava sobre o programa ainda no ar. E isso é a cara da época web 2.0, em que as pessoas querem devolver para o programa de televisão a opinião delas sobre o que estão assistindo - acredita Tas.

Para Cassano, uma das causas para a explosão do Twitter entre os brasileiros tem a ver com a cultura tupiniquim, afetiva e familiar.

- Isso se deve um pouco à maneira com que nós valorizamos os vínculos. Enquanto outras culturas são mais individuais, temos uma natureza agregadosra.

Mas o microblog veio para ficar, ou é só mais uma novidade passageira? Tas acredita que, embora seja difícil definir com precisão, o Twitter já tem seu espaço garantido por três razões: transparência, velocidade e síntese:

- Essa compactação da informação é o que todos queremos na rapidez dos tempos de hoje. E o Twitter tem uma eficiência de comunicação muito poderosa, instantânea e descontrolada. Por essas razões, tenho uma visão muito otimista dele, ao contrário do que muitos acham, de que é uma diluição do texto. É uma visão pequena para o tamanho da mudança.

E já existem empresas totalmente voltadas para o negócio. É o caso da agência de mídias digitais Ad Brazil, que desenvolve projetos completos de uma página virtual. Sergio Lima, sócio da agência, afirma que uma conta de Twitter executada por uma empresa de comunicação otimiza os resultados do serviço:

- É preciso adequar-se ao público, não se limitar a informações meramente comerciais e, se possível, comentar sobre temas relacionados à corporação.

A busca por popularidade no Twitter mexeu com a cabeça de muita gente: políticos, artistas, todo mundo briga pelo seu lugarzinho no ranking de mais seguidores. Cassano, da Frog, acredita que o microblog mexeu com o papel de líder de opinião.

- A lógica agora é diferente da do mercado convencional. A mídia passou a ser o próprio consumidor. Não é mais quem tem poder econômico que compra espaço. Para conseguir ser popular, a experiência de comunicação tem que ser memorável e comentável.

Fonte: Globo