Acessos em banda larga somam 38,5 milhões no país

Avanço é de 51,5% em relação ao mesmo período em 2010

O Brasil alcançou 38,5 milhões de pontos de acesso à internet em banda larga (fixa e móvel) no primeiro trimestre de 2011, um avanço de 51,5% em relação à soma registrada no final de março de 2010, informou hoje a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil).

Na banda larga fixa os acessos alcançaram 14 milhões ao fim do trimestre, um crescimento de 20,5% em relação a março de 2010. Já as conexões em banda larga móvel ? por meio de modems portáteis, smartphones e outros dispositivos móveis de terceira geração (3G) ? tiveram uma evolução de 77,7%, saltando de 13,7 milhões para 24,4 milhões no mesmo período.

Entre os acessos em banda larga fixa, a adoção de planos com velocidades inferiores a 1 Megabit por segundo (Mbps) estão em declínio, enquanto as conexões superiores a 2Mbps representam 20% dos acessos e apresentam o maior ritmo de crescimento.

A associação também nota que mais de oito em cada dez conexões no Brasil estão em residências.

Líder na América Latina

O crescimento coloca o Brasil, de acordo com empresas internacionais consultadas pela Telebrasil, na oitava posição no mercado mundial de banda larga móvel e em nono lugar entre os países com maior número de acessos fixos.

De acordo com dados consolidados pela consultoria Informa e pela organização 4G Americas para a Telebrasil, no final de 2010 o país teve 25 novos acessos em banda larga por minuto, se posicionando como o país latinoamericano com maior crescimento na banda larga móvel. O Brasil lidera, com 59%, o ranking de acessos a esse serviço na região, seguido por Argentina, com 10%; México, com 6%; e Colômbia, com 5%.

O levantamento feito pela Telebrasil mostra, também, que os acessos em banda larga fixa no país com velocidades inferiores a 1 Mbps estão em declínio. As conexões mais rápidas, acima de 2 Mbps, representam 20% dos acessos.

Ainda, segundo a Telebrasil, mais de oito em cada 10 conexões no Brasil estão em residências. Uma das consequências dessa expansão, de acordo com o levantamento da associação, é que 79% dos domicílios que têm computador já navegam na internet em alta velocidade.

Fonte: g1, www.g1.com.br