Ator de "Far Cry 4" minimiza capa do game considerada racista nas redes

Troy Baker diz que história do jogo não fala sobre racismo

O ator Troy Baker, que interpreta o vilão do game de tiro "Far Cry 4", minimizou durante a feira E3 2014 os comentários de que o game violento e polêmico é racista. Quando a capa do jogo foi divulgada, mostrando um homem branco sentado com uma das mãos em cima da cabeça de um homem com pele mais escura segurando uma granada, muitos afirmaram nas redes sociais de que o game é racista.



Ao site "IGN", Baker, que recentemente deu vida a dois personagens principais em dois jogos de grande sucesso, Joel em "The Last of Us" e Booker DeWitt em "Bioshock Infinite" disse que racismo não tem nada a ver com o game ou com a imagem de capa do título.

"Imperialismo e racismo eram assuntos de grande importância na história de "Far Cry 2" e de "Far Cry 3". Este último em especial. Então, este novo jogo não é racista", afirma.

"Conforme a história se desenvolve e as pessoas começam a ver mais do jogo, verão que [o racismo] não faz parte dele. O jogo fala apenas de um homem que comanda o país. Acho que este será o "Far Cry" mais legal já feito".

O diretor criativo do jogo da Ubisoft, "Alex Hutchinson", já tinha se manifestado sobre a polêmica, e disse: " Para esclarecer antes de tirarem suas próprias conclusões, ele [o vilão] não é branco e ele também não é controlado pelo jogador". "Far Cry 4" será lançado em 18 de novembro para Xbox One, PlayStation 4, Xbox 360, PlayStation 3 e PC.

Fonte: G1