Baixinhos têm risco 50% maior de desenvolver problemas cardíacos

Para pesquisadores, baixa estatura é um fator de risco, assim como a obesidade

As pessoas de estatura mais baixa têm 50% mais chances de desenvolver doenças cardíacas e morrer mais cedo do que as pessoas mais altas, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira (9) no European Heart Journal.

Após avaliar três milhões de indivíduos, a pesquisa constatou que as mulheres que medem menos de 1,53 m e os homens com menos de 1,65 m têm uma tendência maior de sofrer problemas cardiovasculares do que as mulheres que superarm 1,66 m e do que os homens com mais de 1,73.

Para os pesquisadores, liderados pela médica Puula Paajanen, da Universidade de Tampere, na Finlândia, essas conclusões sugerem que a baixa estatura deve ser acrescentada à lista de fatores que agravam as doenças do coração, como a obesidade e o colesterol elevado.

Segundo o professor Jaakko Tuomilehto, da Universidade de Helsinki, o resultado é inequívoco.

- A baixa estatura está associada com um risco maior de doenças coronariana (como angina de peito e infarto).

Os pesquisadores, no entanto, não sabem explicar a relação entre a estatura e o risco para o coração.

Quais cuidados devem ser tomados?

Apesar do resultado da pequisa, Puula garante que as pessoas de baixa estatura não tem motivos para se preocupar.

- A altura é apenas um dos fatores que podem contribuir para as doenças cadíacas. E, apesar de não poder se modificar a estatura, pode-se, sim, controlar o peso e o consumo de tabaco, alcóol, além de fazer exercícios.

O mesmo vale para os mais altos, já que a elevada estatura não é um fator de proteção contra o infarto, adverte o professor Tuomilehto.

Fonte: R7, www.r7.com