Bruna Surfistinha comenta avaliações no app Lulu: "Homem bom não teme"

Vetado aos homens, o aplicativo Lulu permite que mulheres avaliem, de forma anônima, o comportamento de rapazes com quem saíram ou não

Ela ficou famosa por relatar na internet detalhes picantes de encontros com os clientes. Com base nas experiências entre quatro paredes com diversos homens, a ex-garota de programa Rachel Pacheco, conhecida como Bruna Surfistinha, avaliava em seu blog as características, personalidade e até o desempenho de quem procurava seus serviços como profissional do sexo.

Hoje escritora e entrando no mundo das baladas, a DJ Bruna Surfistinha, que esteve em Bauru (SP) para tocar em uma casa eletrônica recém-inaugurada, diz que o aplicativo Lulu, que virou febre entre as mulheres e tem causado pânico entre os homens, é uma brincadeira divertida e ?digna? para as mulheres. ?Acho o aplicativo digno. Os homens avaliam as mulheres entre eles, por que não podemos fazer o mesmo? Homem que é bom não vai temer a avaliação?, diz, em entrevista ao G1, a escritora de "O doce veneno do escorpião", que já avaliava os homens muito antes da criação do aplicativo.

No Lulu as mulheres avaliam os homens com notas em vários quesitos, como aparência, humor e educação. Além disso, as usuárias podem usar "hashtags" com termos que se aplicam ao sujeito avaliado, que abordam desde a maneira como ele se relaciona com a família até seu desempenho na hora do sexo. O problema apontado pelos homens é que as avaliações podem ser vistas por qualquer um.

Rachel, que enquanto Surfistinha nunca revelou a identidade dos seus avaliados, diz que o Lulu não é motivo para a preocupação masculina. ?O aplicativo não causa nenhum problema. E pode até ser bom, pois os homens poderão começar a ter medo de trair e os comprometidos vão morrer de medo de avalições suspeitas?, comenta Bruna Surfistinha.

Para Rachel, o aplicativo deve ser visto como uma ?brincadeira divertida?, já que não apresenta nenhuma conotação pejorativa. ?Na minha opinião, eles não têm porque não gostar das ?avaliações?, porque quem não deve não teme. Quem não está gostando é porque tem medo de ser criticado. Homem que é bom não vai ter medo nenhum de ser avaliado?, acredita.

Machismo

Vetado aos homens, o aplicativo Lulu permite que mulheres avaliem, de forma anônima, o comportamento de rapazes com quem saíram ou não, em diversas situações, como o primeiro beijo e o primeiro encontro, e que apontem as qualidades e defeitos deles. Eles são liberados apenas para visualizar seus perfis, que não exibem as notas recebidas.

Segundo Bruna, apesar de toda a polêmica criada sobre o aplicativo, possíveis ferramentas de vingança dos homens devem evitadas. ?Vi que criaram aplicativos para avaliar as mulheres. No entanto, eu achei muito machista. O Lulu não tem conotação sexual, e o deles sim, ou seja, eles querem avaliar a mulher na cama e não a personalidade delas, o que ultrapassa o tom de brincadeira.? O aplicativo em "vingança" ao Lulu deve ser lançado ainda nesta semana.



Fonte: G1