Conheça o HDV, disco que vale por 100 DVDs

A aparência dos três discos é a mesma

Guarde bem esse nome: HVD (Holographic Versatile Disc, ou disco holográfico). Esse é o mais novo e o mais completo meio de guardar informações em um disco. A tecnologia desbanca até o Blu-ray, o sistema que está virando febre na indústria de filmes. O HVD permite armazenar 20 discos de Blu-ray, ou 100 discos de DVD, ou até um disco rígido de computador de baixa capacidade - e com imagens em três dimensões, como se o espectador estivesse em uma montanha russa ou um tubarão saísse do aparelho de televisão

A aparência dos três discos é a mesma. Enquanto o DVD e o Blu-ray gravam informações apenas na superfície, o disco holográfico utiliza toda a espessura. Os sistemas tradicionais utilizam o método de gravação linear de dados por meio de apenas um feixe óptico. O sistema HVD utiliza dois feixes ópticos para transmissão de dados. O conteúdo fica gravado em hologramas ou padrões tridimensionais. É isso o que permite a reprodução de imagens em três dimensões.

A novidade foi apresentada em maio pela General Eletric, a primeira empresa a criar o produto. O que representa o lançamento? Principalmente uma economia para o consumidor e para as empresas. Com a maior capacidade do HVD, uma quantidade menor de discos será necessária para armazenar a mesma quantidade de informações. O disco holográfico, inicialmente, será vendido somente para estúdios de televisão e de cinema e centros médicos. Somente em 2011 ou 2012 deverá chegar às lojas. Isso porque a produção ainda é bastante cara. Os fabricantes terão de adaptar a nova tecnologia aos padrões de armazenamento existentes. Como acontece com toda inovação, no entanto, o preço deverá cair progressivamente assim que o HVD chegar ao mercado.

E agora a pergunta que aflige a todo consumidor final: teremos então de jogar nossos discos de DVD e de Blu-ray (que começa a se popularizar somente agora) no lixo? Não. Como o formato é similar, os aparelhos de DVD e de Blu-ray poderão ler o novo formato.

Fonte: Terra, www.terra.com.br