Arquivos do Megaupload serão mantidos por mais duas semanas

arpathia e Congent concordaram em preservar os dados dos usuários por um tempo adicional.

O advogado Ira Rothken, responsável por defender o site de compartilhamento de arquivos Megaupload, informou nesta terça-feira (31) pelo Twitter que as informações dos usuários serão preservadas por pelos menos mais duas semanas. O aumento do prazo da preservação dos dados deu-se após um acordo com a Carpathia Hosting e com Cogent Communications ? empresas que guardam os arquivos.



"Carpathia e Congent concordaram em preservar os dados dos usuários por um tempo adicional de pelos menos duas semanas. Desta forma, o Megaupload pode trabalhar em um acordo com o Governo Americano", escreveu Ira Rothken no Twitter.

O FBI anunciou nesta segunda-feira (30) sobre a decisão de apagar a informação de milhares de usuários do Meguapload. No entanto, estima-se que os servidores do Megaupload ? acusado de pirataria em massa ? abrigam dezenas de milhares de informações legítimas, de usuários comuns que utilizavam o serviço para guardar arquivos pessoais ou simplesmente transmitiam arquivos grandes.

A Carpathia, uma das empresas americanas que guardam informações do Megaupload, informou em um comunicado que não têm acesso aos dados dos servidores do site de compartilhamento e que não têm nenhum tipo de mecanismo para liberar os dados ?bloqueados pelo FBI? aos usuários. ?Quem acredita que seus dados estão em nossos servidores, por favor, não entre em contato conosco?, diz a empresa.

O site é baseado em Hong Kong, mas alguns de seus servidores ficam na Virgínia ? por isso os EUA teriam autoridade para agir, apagando parte dos dados. O Megaupload contrata empresas terceirizadas para armazenar o conteúdo, pagando por isso. Mas Ira Rothken, um dos advogados da companhia, afirmou no domingo (29) que esse pagamento não pode ser realizado porque as contas foram congeladas pelo governo. A data prevista para o ?apagão? dos arquivos compartilhados pelos usuários era quinta-feira (2).

Fonte: UOL