Estudante que invadiu Facebook é condenado a oito meses de prisão

Rede social gastou US$ 200 mil para esclarecer o assunto

18/02/2012 - 09:58
O Facebook gastou US$ 200.000 para esclarecer o assunto
O Facebook gastou US$ 200.000 para esclarecer o assunto
Foto: Reprodução

Um estudante de programação informática britânico foi condenado nesta sexta-feira (17), na Inglaterra, a oito meses de prisão por ter invadido o gigante das redes sociais Facebook. O problema gerou uma investigação do FBI.

Glenn Mangham, de 26 anos, reconheceu ter hackeado o Facebook entre abril e maio de 2011 na casa de seus pais em York, norte da Inglaterra, apesar de ter explicado que o fez para demonstrar as falhas do sistema de segurança da rede social.

Mangham disse que já tinha feito o mesmo anteriormente com o portal Yahoo! e que, posteriormente, explicou a essa empresa os defeitos de seu site.

O promotor Sandip Patel rejeitou as alegações do jovem, assegurou que o hacker do Facebook foi "mal-intencionado" e que Mangham "atuou com determinação, uma ingenuidade inquestionável e (...) com um espírito calculista".

"Foi o incidente de pirataria de uma rede social mais grave e mais importante enfrentado pela Justiça britânica", disse.

O Facebook gastou US$ 200.000 para esclarecer o assunto, que deu lugar inclusive a uma investigação "longa e cara" por parte do FBI e das autoridades britânicas, segundo Patel.

As ações de Mangham tiveram "consequências reais, que foram, eventualmente, muito graves" que podiam ser "absolutamente desastrosas" para o Facebook, disse o juiz Alistair McCreath para justificar a pena de prisão.

FONTE: G1

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo