Fabricantes prometem "enxurrada" de tablets no mercado brasileiro

Fabricantes prometem "enxurrada" de tablets no mercado brasileiro

De acordo com a empresa de pesquisa IDC, as vendas de tablets no Brasil devem chegar a 300 mil unidades em 2011.

Atualmente, o usuário brasileiro que quiser comprar um tablet tem como opção, basicamente, o Samsung GalaxyTab, o Motorola Xoom, o ZTE V9 e a primeira versão do iPad. No entanto, várias fabricantes prometem o lançamento de modelos a partir do mês de junho. Empresas como Asus, LG e Positivo já preparam suas alternativas para o mercado de computadores portáteis.

A norte-americana Motorola e a coreana Samsung já produzem tablets no Brasil. A brasileira Positivo Informática planeja o lançamento de um modelo para o segundo semestre e a ZTE, da China, produzirá o aparelho em sua nova fábrica em Hortolândia, interior de São Paulo.

O governo publicou no Diário Oficial da União medida provisória que inclui computadores tablets no regime que dá incentivos fiscais para a produção de bens de informática.

A Samsung, que concorre com o iPad com o tablet Galaxy Tab, já produz o aparelho em sua fábrica de Campinas, interior de São Paulo. Porém, o Galaxy Tab --com tela de 7 polegadas-- não receberá benefícios fiscais por ter funções de voz e ser classificado oficialmente como um celular.

A ZTE --que anunciou investimento de 350 milhões de reais na fábrica em Hortolândia, durante a visita da presidente Dilma Rousseff à China em abril-- vai produzir seu tablet V9 na nova unidade e também sob contrato com a terceirizada Evadin, em Manaus.

O presidente da ZTE do Brasil, Eliandro Ávila, afirmou que ainda não há data fixa para começar a produção, mas que a demanda já é grande o bastante.

A Motorola, que compete no setor com o tablet Xoom, já produz o aparelho no país, na fábrica de Jaguariúna, interior de São Paulo. "A estratégia de precificação do tablet da empresa será revisada após a aprovação dos benefícios fiscais pelo governo", disse a companhia por e-mail.

A fabricante norte-americana afirmou já ter enviado requisição ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) para usufruir dos benefícios fiscais para tablets.

Fonte: UOL