Facebook pode comprar Opera e criar navegador móvel próprio

Se o acordo realmente acontecer, Google e Apple terão que se preparar para mais competição.

O apetite do Facebook por publicidade poderia ser melhor satisfeito se a companhia adquirisse o navegador móvel Opera. É o que alguns pesquisadores de tecnologia especulam.



A empresa responsável pelo desenvolvimento do Opera diz que mais de 168 milhões de pessoas - muitas delas "jovens e criativas", de acordo com uma pesquisa de marketing - utilizaram o navegador Mini Opera Mobile durante o mês de março. Com o navegador em mãos, o Facebook poderá expandir seu alcance na área de serviços móveis. Isso pode significar, inclusive, que a rede terá recursos para extrair mais informações sobre os usuários mesmo quando eles não estiverem conectados à rede social.

Embora qualquer informação sobre a iminente compra seja mera especulação, caso ela ocorra mesmo, melhor a Google se cuidar. A Apple pode se preocupar também. O Opera TV Store, com seus apps para TV móvel, e o navegador Opera TV - otimizado para Linux e Android, set-top box e media players -, combinado com o alcance do Facebook, pode significar que a rede social poderá desenvolver um play com a intenção de proporcionar experiências aos usuários também em suas próprias salas.

O site PocketLint disse que, "uma de suas fontes confiáveis" confirmou o interesse do Facebook em comprar a Ópera Software, companhia por trás do navegador móvel. Dando crédito aos rumores, o site The Next Web relatou que "uma fonte sólida" disse a eles que a Opera Software está conversando com potenciais compradores e que a empresa estaria congelada para novas contratações, o que seria um indicador de que algo significante pode estar sendo negociado.

A aquisição, se acontecer, faz sentido para o Facebook. Mark Zuckerberg chegou a assegurar aos seus investidores que uma das suas prioridades para esse ano seria transformar o Facebook móvel e os serviços de publicidade. Adquirindo o Ópera, seus planos têm grandes chances de darem certo. Ainda assim, muitos usuários do navegador estão infelizes com essa ideia e, desde que os rumores começaram a vir à tona, muitos deles têm reclamado em fóruns online.

Fonte: Uol-idgnow