Fecebook estreia na Nasdaq com vendas de ações a US$ 38 milhões

Fecebook estreia na Nasdaq com vendas de ações a US$ 38 milhões

Em meio a uma multidão na sede da rede social da Califórnia, Zuckerberg e centenas de funcionários do Facebook animaram a abertura do mercado.

Mark Zuckerberg, vestindo seu tradicional moletom com capuz e visivelmente emocionado, tocou a campainha (à distância) da Nasdaq nesta sexta-feira (18) e deu a largada para as ações do Facebook na bolsa, sob o código "FB".

Em meio a uma multidão na sede da rede social da Califórnia, Zuckerberg e centenas de funcionários do Facebook animaram a abertura do mercado. No grupo, estavam executivos de destaque da rede social, como Sheryl Sandberg, responsável pelas operações da companhia e que recebeu um salário maior que Zuckerberg durante o ano de 2011.

David Ebersman, executivo responsável pela área financeira do Facebook, estava presente na sede da Nasdaq na Times Square, em Nova York, onde telas gigantes exibiam um sinal ?Bem-vindo Facebook?.

Os papeis do Facebook fazem agora parte da bolsa de Nova York, após realizar a maior oferta inicial de ações (IPO) já feita por uma empresa de internet.

O Facebook apresentou seus documentos para realizar o IPO ao órgão regulador dos mercados norte-americano no início de fevereiro. A faixa de preço inicial de ações estimada pela companhia foi de US$ 28 a US$ 35, mas o valor acabou aumentando para uma faixa de US$ 34 a US$ 38 e estabelecido no número mais alto. Nesta semana, a empresa também anunciou que oferecerá 25% a mais de ações do que havia previsto.

Durante o período, Mark Zuckerberg, o fundador e CEO da empresa, também teve que responder a críticas envolvendo a aquisição do Instagram, por US$ 1 bilhão, e da startup Glancee. O executivo foi criticado por, segundo o "Wall Street Journal", ter negociado a aquisição do Instagram por conta própria e avisado o conselho da companhia da movimentação apenas no dia 8 de abril --a compra foi divulgada na imprensa no dia 9 de abril.

Entre as instituições envolvidas na oferta do Facebook estão Morgan Stanley, JP Morgan, Goldman Sachs, Bank of America, Barclays e Allen & Co. O banco de investimentos brasileiro Itaú BBA também está entre os coordenadores da oferta pública inicial do Facebook.

Fonte: G1