Fones de ouvido: o que você precisa saber para escolher um modelo bom

MDR-XB920 da Sony é um dos modelos mais completos do mercado

Comprar fones de ouvido pode ser um desafio para quem quer ouvir música com um som de qualidade, mas não entende muito das especificações técnicas do dispositivo. Muitas vezes, a aquisição é feita às cegas, com a indicação de amigos, confiança na marca ou simplesmente por ser um modelo bonito e com uma qualidade boa à primeira vista. Para ajudar quem se identificou com a situação, esclarecemo as principais especificações necessárias para escolher um fone e descobrir quais deles atendem de fato às suas necessidades.


Fones de ouvido: o que você precisa saber para escolher um modelo bom

Sensibilidade

A sensibilidade mede, em termos práticos, o volume que o fone pode alcançar. O número encontrado na embalagem significa que para cada miliwatt de potência, ele entrega uma determinada quantidade de decibéis. Este fator é medido em dB SPL(decibéis de nível de pressão sonora) e é bom manter em mente que a partir de 85 decibéis, o som já está alto o suficiente para causar danos à audição.

Impedância

Não é necessário ligar os fones na tomada para fazê-los funcionar, mas eles trabalham através de eletricidade. E aí que a impedância entra, atuando exatamente como resistores. Essa medida não só é responsável por proteger os sistemas internos do dispositivo, como também por impedir que o som da frequência vibratória da energia elétrica interfira com o som da música que está sendo ouvida. Como uma regra geral, quanto maior a impedância, melhor a qualidade do som.

Potência Máxima/Nominal Power Handling Capacity

Quem adora ouvir as músicas o mais alto possível, pode já ter passado pela situação desagradável de o fone começar a pifar mesmo com os fios intactos. Isso acontece porque, muitas vezes, a capacidade máxima de volume do aparelho pede muito mais energia do que a potência máxima dele aguenta - o que leva os alto-falantes a irem falhando com o tempo. Assim como a impedância, quanto mais alta a potência máxima, melhor.

Diafragma

O diafragma de um fone de ouvido é, basicamente, o alto-falante. Existem muitos tipos, cada um com suas características específicas, mas o objetivo de todos eles, no fim, é ter a capacidade de reproduzir perfeitamente qualquer tipo de som. Não existe um modelo de diafragma que seja melhor que o outro em todas as características, mas pessoas diferentes irão gostar de diferentes tipos.

O diafragma dinâmico é o mais comumente encontrado. É o mais barato dentre os tipos existentes e tem uma amplitude sonora boa ? consegue reproduzir vários tipos de frequência. Esse é o clássico alto-falante que lembra um cone, geralmente encontrado nos fones estilo earbud. Chamados de ?Moving Coil? em inglês, devido a movimentação do alto-falante para produzir o som, eles têm como característica manter um som mais linear do que os outros tipos.

Já os eletrostáticos são o tipo de diafragma presentes nos fones mais caros, e não é sem motivo ? eles são altamente tecnológicos, consistindo em uma película finíssima entre dois eletrodos. São delicados e precisam de mais energia do que os outros tipos para funcionar, o que resulta também em mais gasto para as empresas, que precisam garantir que essa energia extra não faça mal ao usuário.

Em quesitos de som, os diafragmas eletrostáticos são conhecidos por sua capacidade de alcançar vários tipos de graves e agudos, ter um som limpo e pela ausência quase que absoluta de qualquer sinal de distorção sonora. Um ponto ruim é que justamente por serem finos e leves, eles não conseguem reproduzir os graves de forma muito intensa.

Há ainda fones com diafragmas de armadura balanceada que, na maior parte dos casos, compõem os fones intra-auriculares ? aqueles com as pontinhas de silicone, que são colocados realmente dentro do ouvido e ajudam a cancelar todo o som em volta. O motivo disso é justamente o tamanho do diafragma, que é o menor de todos. Como não conseguem reproduzir sons muito agudos ou muito graves com segurança ? e alguns modelos chegam a contar com três ou mais dentro de cada fone -, elle vem lentamente perdendo mercado e começado a ser mais utilizado em aparelhos para deficientes auditivos.

Em suma, os principais itens que devem ser observados ao comprar um fone de ouvido são: o tipo e a quantidade de diafragmas (também chamado de drivers), a impedância e a sensibilidade. As outras características são importantes, mas essas três são as maiores responsáveis para que o aparelho tenha o desempenho desejado e o maior tempo de vida útil possível.

Fonte: techtudo