"Fui injustiçado", diz delegado afastado após críticas no Twitter

"Fui injustiçado", diz delegado afastado após críticas no Twitter

Pedro Paulo diz que ficou surpreso com a postura da Polícia Civil. Ele foi destituído do cargo após postar críticas a mulheres no blog.

Após polêmica no Twitter, o delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, da 9ª DP (Catete), concedeu entrevista ao G1 na manhã desta terça-feira (22) e disse que foi injustiçado pela decisão da chefe da Polícia Civil, delegada Martha Rocha, que o afastou do cargo. Em nota, a corporação informou que não vai mais se pronunciar sobre o assunto.

?Fiquei surpreso com a postura da Polícia Civil. Tenho 27 anos de polícia e sempre fui pautado pela dignidade e honestidade. Espero realmente que a Martha Rocha me ouça. Respeito a decisão dela, mas gostaria que ela ouvisse a verdade dos fatos. Manipularam o que eu disse. Fui injustiçado?, disse o delegado.

Pedro Paulo foi destituído do cargo após postar críticas a mulheres em seu perfil no Twitter nesta segunda-feira (21). Ele foi substituído por Monique Vidal (titular da 12ª DP, de Copacabana).

De acordo com Pinho, os posts no Twitter eram relacionados a uma funcionária da própria delegacia que estava tendo problemas internos há três meses.

?Esse problema começou com uma policial aqui da delegacia, que já vinha apresentando problemas há algum tempo. Ela tentou tirar plantão, tentou também uma transferência interna e não conseguiu. Então, ontem fui surpreendido porque ela não veio trabalhar e isso me causou um transtorno, uma vez tive que deslocar outro funcionário. Aí, eu subi para minha sala e entrei no Twitter. Quando entrei no site, ela (a policial) estava tuitando como se nada tivesse acontecido. Aquilo me deixou muito indignado e eu comecei a emitir opiniões a respeito do serviço público e, em seguida comecei a explicar que a atividade policial exige talento, dedicação, mas sem generalizar nenhuma mulher?, explicou Pedro Paulo.

O delegado ainda ressaltou que a mulher é extremamente importante na polícia. ?Eu não tenho nenhum tipo de preconceito. Jamais desrespeitaria qualquer pessoa, seja ela mulher, travesti ou homem. Nos meus comentários, me referi às pessoas em geral. Não faço nenhuma distinção de gênero?, concluiu o delegado.

Polêmica no Twitter

A polêmica no Twitter começou por volta das 15h de segunda-feira (21), quando Pedro Paulo, que se identifica no Twitter como ?Polícia e Poesia - @Delegado_Pinho?, postou no microblog algumas mensagens que faziam referência à capacidade de mulheres policiais e enaltecia um membro da corporação.

?Tenho 14 mulheres no meu efetivo, mas apenas uma, uma apenas, reúne talento, coragem e disposição para encarar a atividade policial. Se inscrevem num concurso policial como se fosse uma vaga num escritório", diz os posts.

Leia abaixo a íntegra da nota enviada pela Polícia Civil:

"Ao tomar conhecimento das declarações do delegado Pedro Paulo Pontes Pinho no Twitter identificado como ?Polícia e Poesia - @Delegado_Pinho? e considerando que o delegado tem dificuldades em gerir os recursos humanos que lhes são disponíveis, a Chefe de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, Martha Rocha, decidiu designar a delegada Monique Vidal para ser a nova titular da 9ª DP (Catete). Ex-titular da 12ª DP (Copacabana), 13ª DP (Ipanema), 28ª DP (Campinho), 17ª DP (São Cristóvão) e da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Monique Vidal foi escolhida pessoalmente pela Chefe de Polícia Civil considerando sua trajetória como mulher policial. Para a 12ª DP foi designado o delegado José William, atual titular da 82ª DP (Maricá). A delegada Martha Rocha também determinou que a Corregedoria Interna de Polícia Civil (Coinpol) examine os posts do delegado Pedro Paulo Pontes Pinho em seu Twitter durante seu horário de trabalho."

Fonte: G1