Gêmeas siamesas de um só coração serão separadas nos EUA

Gêmeas siamesas de um só coração serão separadas nos EUA

Depois de separadas, Emma e Taylor, de três anos de idade, receberão corações por transplante.

Médicos nos Estados Unidos tentarão separar as gêmeas siamesas Emma e Taylor Bailey, de três anos de idade, que estão ligadas pelo coração.

Emma e Taylor dividem um coração de sete câmaras - um coração normal possui quatro câmaras, sendo dois átrios e dois ventrículos. Elas também dividem o fígado.

As meninas já passaram por duas cirurgias preliminares, e ainda deverão passar por outras antes de uma operação final. Nesta, elas serão separadas e receberão corações transplantados.

Caso a operação dê certo, Emma e Taylor entrarão para a história médica como as primeiras siamesas com um único coração a serem separadas com sucesso.

Expectativas

A família se disse confiante na equipe médica do Hospital Infantil de Seattle, que já separou gêmeos siameses com sucesso antes.

Mesmo assim, os pais disseram que decisão de levar adiante a separação foi extremamente difícil.

"(É) a decisão mais difícil que um pai tem que fazer", disseram eles no blog da família. "Se não houvesse a possibilidade de separação, não haveria escolhas a ser feitas."

Na última cirurgia pela qual passaram, no final de 2009, Emma e Taylor acabaram contraindo o vírus da gripe suína e precisaram ficar hospitalizadas por três semanas, mas já passam bem.

Quando as meninas nasceram, os pais não esperavam que elas nem mesmo saíssem do hospital.

As irmãs, que vivem na cidade de San Tan Valley, no Estado do Arizona, superaram as expectativas dos médicos ao chegar aos três anos, mas sofrem de insuficiência cardíaca.

Segundo a família, as gêmeas têm personalidades bem diferentes, apesar de estarem tão ligadas.

"Taylor tem um brilho no olho e está sempre fazendo palhaçadas. Emma é mais reservada e adora um carinho", disseram eles.

A história de Emma e Taylor está atraindo atenção do público nos Estados Unidos, com uma série de eventos sendo organizados pela família e amigos para arrecadar fundos para as cirurgias.

Fonte: g1, www.g1.com.br