Hollywood aposta em "celebridades" do YouTube

Cruikshank, um jovem de 16 anos da área rural do Nebraska, criou o personagem - um menino atacado de seis anos chamado Fred Figglehorn

Era um dia frio no subúrbio de Los Angeles, não o melhor clima para cavar um buraco, mas Lucas Cruikshank tinha um filme para fazer. Então, ele corajosamente pega uma pá, se coloca em frente à câmera e começa com a vozinha estridente que atraiu milhões de usuários do YouTube.

Cruikshank, um jovem de 16 anos da área rural do Nebraska, criou o personagem - um menino atacado de seis anos chamado Fred Figglehorn e cuja voz alcança os chiados mais estridentes - cerca de quatro anos atrás. Desde então, Fred se tornou um fenômeno da internet, com alguns dos vídeos de Cruikshank gerando mais de 10 milhões de cliques no YouTube. Ao todo, seu canal, youtube.com/user/Fred, tem registradas quase 70 milhões de visualizações desde 2005.

Mas será que Fred dá conta de um longa-metragem?

Nos últimos anos, Hollywood tem vasculhado a internet em busca de talentos em maturação capazes de migrar para plataformas tradicionais, como cinema e televisão, onde está o dinheiro de verdade. Esses esforços foram um grande fracasso. Por exemplo, no ano passado, outra dupla de sensações do YouTube, Ryan Higa e Sean Fujiyoshi, fez uma tentativa com "Ryan and Sean"s Not So Excellent Adventure", que nunca deslanchou. O que funciona na internet - intimidade amadora, em doses curtas - aparentemente não consegue ser transportado para telas maiores.

Mas o diretor e produtor Brian Robbins, de "Norbit" e "O Grande Dave", a United Talent Agency e uma agência de talentos chamada Collective estão fazendo uma tentativa com Cruikshank. "Fred: The Movie", escrito por David A. Goodman, produtor-executivo de "Uma Família da Pesada", começou as filmagens em novembro, com estreia prevista para 2010. Pixie Lott, cantora e atriz britânica iniciante, coestrela o filme.

Robbins, cujos créditos de produção televisiva incluem "Smallville", e a Collective estão financiando o projeto com um orçamento baixo de poucos milhões. Os planos de distribuição ainda não foram definidos, mas Jeremy Zimmer, sócio-fundador da United Talent, disse que a agência tentaria um lançamento nos cinemas ou talvez uma opção pay-per-view.

A equipe tem altas expectativas. "Considerando a audiência do Fred no YouTube, será que o filme consegue superar uma luta de pesos pesados no pay-per-view? Acho que sim", disse Robbins. Zimmer acrescentou, "é uma comédia infantil com altíssimo valor pré-vendido. Além disso, Lucas poderá atrair público pelo YouTube".

A maior parte do entretenimento amador da internet, mesmo aquele de muito sucesso, vem de pessoas com um só truque: aqui estou eu mostrando como se aplica sombra nos olhos; aqui está minha imitação do vovô sem a dentadura. Mas Cruikshank criou um mundo inteiro. Em seus vídeos, Fred fala sobre a menina pela qual está gamado, Judy, e o menino que o importuna, Kevin. O personagem tem uma mãe alcoolatra e um pai preso. "Senti que havia história suficiente para fazer um filme", disse Goodman. "Existe um ponto de vista".

Tirando uma folga das filmagens, Cruikshank disse que não baseou o personagem em ninguém específico e não perde muito tempo pensando no processo. Segundo ele, demorou cerca de 30 minutos para que ele e seus irmãos fizessem um dos vídeos de dois minutos, aos quais ele assiste uma vez e depois esquece. "Só peguei como as crianças se comportam nesse grupo etário e exagerei 100%", disse.

A voz aguda e as travessuras de Fred irritam muitos adultos como se fossem unhas em um quadro-negro, mas as crianças gargalham até cair. Robbins disse que seus filhos novos e seus amigos ajudaram a convencê-lo de que havia potencial para um filme no personagem, que obteve alta pontuação em audiência potencial em uma pesquisa. "Se você é adulto, aquilo te repele de início - o que é isso?", disse Gary Binkow, chefe-executivo da divisão de mídia saliente da Collective. "Mas depois que você começa a assistir, percebe que é hilário". Cruikshank dá de ombros. "Ele é algo do qual você aprende a gostar, acho", disse. "Que nem sushi".

O que dá mais credibilidade ao projeto do que tentativas similares anteriores é a crescente celebridade de Cruikshank. "It"s Hackin" Christmas With Fred", uma nova coletânea de canções de Natal, está tendo fortes vendas no iTunes, enquanto lojas especializadas se apressam para estocar uma linha de produtos Fred: camisetas, mochilas, adesivos.

Cruikshank também apareceu na série de sucesso da Nickelodeon "iCarly" e assinou no ano passado um acordo com a Walden Media para promover o filme "Cidade das Sombras". Ele ganhou exposição na mídia pelo acordo, que envolveu a discussão do filme em um vídeo. Mesmo assim, isso não ajudou muito o filme, que, apesar de trazer Tim Robbins e Bill Murray, acumulou apenas US$ 7,9 milhões nas bilheterias.

"Fred: The Movie" acompanha o personagem enquanto ele tenta localizar Judy. No percurso, ele cava um buraco em seu quintal para ela, fantasia sobre uma roupa de invisibilidade, se perde na floresta, é enterrado na areia e, quando finalmente encontra Judy, vomita na menina. Dentro do buraco e coberto de terra, Cruikshank foi interrompido por Clay Weiner, o diretor. "Por que você não tenta gritar um pouco mais alto?", ele sugeriu. Com as câmeras em ação, Cruikshank começou a choramingar enquanto cavava e esganiçava sua fala: "Tá ficando difícil demais. Mas preciso fazer isso - pela Judy". Weiner acenou com a cabeça positivamente, e a equipe, assistindo por monitores, começou a gargalhar.

Fonte: Terra, www.terra.com.br