Internet é fonte confiável para 85% da elite

85% da população com alto poder aquisitivo afirma que a rede é uma base de pesquisas precisas

A internet é uma fonte de informação confiável para a maioria da elite brasileira: de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (23), 85% da população com alto poder aquisitivo afirma que a rede é uma base de pesquisas precisas.

O estudo foi feito pelo Ibope com 760 entrevistados, cuja idade variava entre 20 e 64 anos, e que representaram um universo de 2,4 milhões de pessoas --ou 5% mais ricos em nível socioeconômico-- com acesso à internet nos últimos três meses. Segundo a pesquisa, 91% do público consultado buscam dados na internet sobre produtos antes de uma compra.

Quando comparado com argentinos, mexicanos e colombianos, o brasileiro é o menos conservador quanto às compras feitas on-line: 82% dizem que esse tipo de aquisição é mais conveniente, enquanto menos da metade dos outros latinos têm esta percepção. Na hora de comprar, a maioria da população (81%) concorda que vale a pena pagar mais por produtos de qualidade.

A lealdade às marcas é evidenciada por 70% dos consumidores de alto padrão no Brasil, México e Argentina. Smartphone Em relação a intenção de compra nos próximos 12 meses, 50% dos brasileiros apontam o smartphone como objeto de desejo. Quando questionadas, 76% das mulheres comprariam produtos para o cuidado com a pele, 50% optariam por um computador e 45% por roupas de grife.

A média de gasto dessas mulheres com cosméticos, nos últimos 12 meses, foi de R$ 733. Já entre o público masculino destacam-se produtos como telefone celular (57%), computadores (54%), perfumes (49%) e roupas de grife (41%). Quando o tema é beleza, 50% dos homens adquiriram produtos para o cuidado com a pele para consumo próprio e 35% para dar de presente.

O gasto médio anual masculino com presentes desta categoria é de R$ 616, enquanto o feminino é de R$300. A população retratada pelo The Elite Consumer possui alta taxa de uso de serviços bancários e faz ampla utilização dos autosserviços financeiros: 63% deles usam home banking, enquanto 56% delas usufruem da ferramenta --49% do público masculino utiliza o caixa eletrônico contra 45% das mulheres e o índice de acesso via internet pelo celular é de 6% para eles e 4% para elas.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br