Jornal alega que videogames causam câncer em crianças

Jornal alega que videogames causam câncer em crianças

Mas apesar de enfatizar os jogos eletrônicos no título, texto muda e diz que crianças que ficam sentadas muito tempo podem ter algum tipo de câncer

O tabloide britânico "The Mirror" publicou um artigo que alega que jogar videogame por muito tempo causa câncer em crianças. A afirmação foi publicada com base em um estudo científico conduzido pela organização médica Royal College of Paediatrics and Child Health, que argumenta que os problemas podem ser causados não apenas pelo ato de jogar videogame, mas também por outros fatores, como longos períodos de ?inatividade?.

Apesar de citar os videogames enfaticamente nas primeiras linhas, o estudo muda de tom ao longo de sua conclusão. O artigo informa que crianças que ficam muito tempo em computadores e jogando videogame, sentados e sem sair da mesma posição, podem desenvolver câncer de algum tipo ? o que não quer dizer necessariamente que o videogame seja o principal responsável.

Contudo, o texto do jornal diz ainda que crianças não devem ficar mais de duas horas em uma mesma atividade deste tipo, como jogar videogame ou jogar no computador. Atualmente, segundo a publicação, a média de tempo que crianças britânicas passam nestas atividades é de seis horas por dia.

O cenário melhora quando Kate Mendoza, representante do instituto World Cancer Research Fund, abranda a questão, alegando que ?sentar por muito tempo pode aumentar o risco das crianças contraírem doenças como câncer, problemas cardíacos ou diabetes no futuro?.

Um professor chamado Mitch Blair também é consultado pelo jornal, que vai além e classifica outros ?responsáveis? por este risco, como telefones celulares, TVs, notebooks e outros dispositivos eletrônicos.

A Royal College of Paediatrics and Child Health foi questionada pelo site "Computer and Videogames" sobre a alegação e a ligação que o jornal faz com videogames, mas a organização não quis comentar.

Fonte: tech tudo