Mesmo atrasado no país, celular da LG dá "surra" no Galaxy S3;veja

Mesmo atrasado no país, celular da LG dá "surra" no Galaxy S3;veja

Review do Optimus G: mesmo "atrasado", smartphone da LG ainda vale a pena

O LG Optimus G chegou ao Brasil com a difícil tarefa de provar que ainda é uma boa opção de compra frente ao Galaxy S4 e Xperia ZQ, ambos com tela Full HD. Embora seja um top de 2012, o smartphone chama a atenção por um quesito fundamental: o desempenho. Confira abaixo o teste completo que o TechTudo fez com o novo "todo-poderoso" da LG.

Design

O smartphone da LG tem uma construção muito bonita e confortável, com cantos arredondados, que se encaixam mais facilmente nas mãos do que extremidades ?quadradonas?, como as do Lumia 920. Além disso, o aparelho é fino e relativamente leve. Seus 8,5 mm e 145 g dificilmente incomodarão dentro do bolso.

Ao lado da marca, o Optimus traz uma luz de notificações que se mostrou bastante útil no dia a dia. Para alertas do sistema, é exibida uma luz verde piscante. Quando a bateria está no fim, a cor é vermelha. Após o carregamento ficar completo, verde esmaecente. Ou seja, não é preciso desbloquear seu Optimus G para saber o que se passa com ele.

O corpo é revestido por plástico nas laterais e por vidro brilhante na parte frontal e traseira, que possui microcristais semelhantes aos do Nexus 4. Apesar do resultado final ser elegante, o Optimus G não passa a ideia de que resistirá a duras quedas. Além disso, fanáticos por limpeza devem passar longe do aparelho da LG, que fica cheio de marcas de dedos não só na tela touchscreen, como também na parte de trás.

Usuários de outras fabricantes poderão se incomodar ainda com a distribuição dos botões físicos, já que a tecla de bloquear/desligar fica, justamente, na região onde costuma ficar o controle de volume. Falta também um botão dedicado para câmera, o que garantiria mais estabilidade na hora de fotografar.

Parafusos expostos na parte inferior e alto falantes mal posicionados, facilmente encobertos pelas mãos dos usuários, também ofuscam a elegância do aparelho. O Optimus G traz também um pequeno ?calombo? para a câmera, que é de 13 megapixels. A entrada para fone de ouvido, na parte superior, seria uma saída para facilitar o uso dentro do bolso, se não fosse o conector do fone de ouvido em ?L?.

Tela

Apesar de não ser Full HD, a tela IPS LCD do Optimus G não deixa a desejar. Seu display de 4,7 polegadas é levemente menor do que o do Galaxy S3, mas é superior em resolução e densidade. São 1280 x 768 pixels com 318 ppi no celular da LG, contra 1280 x 720 pixels com 306 ppi no Galaxy. O Optimus G conta ainda com tecnologia que mantém a tela ligada enquanto o usuário olha o smartphone, embora o recurso apresente falhas em algumas ocasiões. As respostas ao toque são rápidas e precisas.

Desempenho

O processador quad-core Snapdragon S4 Pro de 1,5 GHz do Optimus G faz um excelente trabalho. O smartphone da LG demonstrou desenvoltura e fluidez tanto em tarefas do dia a dia quanto em jogos pesados, como o Homem de Ferro 3.

O armazenamento interno deixa a desejar, principalmente aliado à falta de entrada para cartão de memória. Apesar dos 32 GB anunciados pela LG, o Optimus G traz apenas 25 GB disponíveis para o usuário. Com aplicativos na Google Play beirando 1 GB somados aos dados pessoais do usuário, pode acabar faltando espaço para os "acumuladores" de apps e arquivos.

A bateria é um dos pontos fortes do aparelho. O Optimus G aguenta cerca de dez horas de uso intenso, com Wi-Fi e 3G ligado. Em espera, o aparelho supera, tranquilamente, 15 horas de autonomia. O Optimus vem ainda com suporte à rede 4G (LTE) brasileira, mas não pudemos testar como o aparelho se sai nesse tipo de conexão.

Sistema

O Android já é conhecido, mas a LG se preocupou bastante em facilitar a vida dos novos usuários do sistema. A cada aplicativo nativo aberto, uma caixa de diálogo com instruções aparece na tela. O Optimus G, aliás, sai de fábrica com uma boa lista de apps, como editor de arquivos do Word (.doc), PowerPoint (.ppt) e Excel (.xls), além de ferramentas para a tradução instantânea e compartilhamento.

O Optimus é um celular grande e a LG soube aproveitar muito bem o tamanho de sua tela. Em apps, como o de mensagens SMS e o player de músicas, o smartphone exibe informações adicionais quando é colocado na posição horizontal. Além disso, é possível abrir minijanelas com vídeos, navegador da Internet, notas, calendários e calculadoras enquanto se faz outras tarefas.

Outro recurso bem útil é o Quick Memo, que oferece anotações rápidas, inclusive, sobre a tela do sistema. Para ele, a LG lançou uma canetinha, que oferece mais precisão do que os dedos.

Um problema muito irritante apresentado pelo Optimus G foi um bug no teclado que apaga todo o texto do usuário durante a digitação de um SMS. Não foram poucas as vezes que tivemos que reescrever tudo de novo por causa desse erro. O Optimus tem bons recursos nativos de escrita, como digitação Swype e previsão de escrita, mas é preciso acessar o menu de configurações para ativá-los.

Câmera

O Optimus G não é tão "G" assim no quesito fotografia. O smartphone até faz boas fotos diurnas, mas tem muita dificuldade em trabalhar em ambientes com maior variação de luminosidade. Em lugares muito claros ou ensolarados, as fotos estouram. Já nas fotos em locais escuros, ele deixa muito a desejar. O modelo possui tecnologia HDR, mas as imagens nem sempre são nítidas. Enfim, a câmera, que prometia muito, entrega pouco.

Já na gravação de vídeos, a LG parece ter se empenhado um pouco mais. O software da câmera oferece muitos controles para usuário, como efeitos de cor, brilho, balanço de branco e ativação do flash. Além disso, há recursos divertidos que alteram o rosto do usuário e também o fundo da tela em tempo real.

Multimídia

O player nativo do aparelho é simples, elegante e possui tecnologia Dolby Mobile, além da exibição das letras da canção. Os fones de ouvido também foram caprichados pela LG e, além de bonitos, apresentam boa reprodução de áudio, especialmente os graves. Pena que não se pode dizer o mesmo dos alto-falantes que, além de mal localizados, têm qualidade mediana. Outra decepção é a ausência do Rádio FM, que, apesar de não ser um recurso de última geração, faz falta em determinados momentos.

A reprodução de vídeos oferece suporte a legendas e compartilhamento com TVs e outros dispositivos via DLNA. O usuário também pode fazer outras tarefas enquanto assiste a um filme, por exemplo, já que a janela também pode ser reajustada para funcionar com outros aplicativos.

Ainda vale a pena?

Embora não tenha a tela Full HD dos atuais tops de linha, o Optimus G ainda é uma boa escolha de compra, principalmente para quem não quer gastar muito. Com preço sugerido de R$ 1.999, o top de linha da LG já vem compatível com a rede 4G (LTE) brasileira.

Fonte: Tech Tudo