Microsoft compra por US$ 7,18 bi unidade de smartphones da Nokia

Microsoft compra por US$ 7,18 bi unidade de smartphones da Nokia

Nokia se concentrará agora em serviços e redes

A finlandesa Nokia venderá suas operações com celulares e smartphones ao grupo americano Microsoft por US$ 7,183 bilhões de dólares (5,440 bilhões de euros), anunciou a empresa finlandesa.

A operação ocorre dois anos depois que a empresa decidiu usar o sistema operacional Windows Phone, da própria Microsoft, em seus principais aparelhos em uma tentativa de recuperar o número de vendas, o que não aconteceu. A Nokia já foi a principal fabricante de celulares e de smartphones no mundo, mas perdeu espaço para concorrentes como Apple e Samsung, que têm dispositivos muito mais modernos e que caíram no gosto do consumidor rapidamente.

A tentativa de usar o sistema Windows Phone seria para modernizar os aparelhos. Com a linha Lumia, que usa este sistema, a Nokia e a Microsoft não alcançaram o número de vendas desejado.

A venda, "em dinheiro", incluirá a totalidade das patentes no setor, que se concentrará agora em serviços e redes, "o melhor caminho para se avançar, tanto para a Nokia como para seus acionistas", segundo o presidente do grupo, Risto Siilasmaa.

A Nokia também anunciou a saída imediata de seu diretor-executivo, Stephen Elop, que será substituído interinamente por Risto Siilasmaa. Elop está sendo cotado como um possível substituto ao atual presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, que vai se aposentar e está tentando transformar a companhia em uma empresa de aparelhos e serviços, como a Apple, antes de deixar o comando.

Queda da companhia

Em três anos sob o comando de Elop, a Nokia viu sua participação de mercado encolher e o preço de sua ação recuar em meio à aposta dos investidores de que sua estratégia fracassaria.

Em 2011, depois de escrever um memorando que afirmava que a Nokia estava ficando para trás e não tinha tecnologia para acompanhar o mercado, Elop tomou uma decisão controversa de usar o sistema operacional da Microsoft para smartphones, o Windows Phone, no lugar da própria plataforma desenvolvida pela Nokia ou do sistema criado pelo Google, o Android, hoje líder de mercado.

A Nokia, que teve uma participação de 40% do mercado de celulares em 2007, agora tem 15%, com uma presença ainda menor em smartphones, de 3%.

A venda do negócio de celulares da Nokia não é a primeira reviravolta dramática da empresa em sua história de 148 anos. A companhia já vendeu de botas de borracha a televisores.

Mas o anúncio da venda foi um duro golpe para o país natal da empresa, a Finlândia, mesmo entre os investidores menos sensíveis, que viam a venda da empresa como uma chance final para salvar valor do grupo.

"Como finlandês, não posso gostar deste negócio. Ele encerra um capítulo da história da Nokia", disse Juha Varis, gerente de portfólio da Danske Capital. "Por outro lado, talvez tenha sido a última oportunidade de vendê-lo."

A venda da divisão de celulares da Nokia para a Microsoft deve ser concluída no primeiro trimestre de 2014 e está sujeita à aprovação por acionistas da Nokia e autoridades. Cerca de 32 mil funcionários da Nokia esperam ser transferidos para a Microsoft, incluindo 4,7 mil que trabalham na Finlândia.

Fonte: G1