Amigos desenvolvem aplicativo que localiza animal de estimação perdido

O aplicativo atende usuários de todo o Brasil


Moradores do DF desenvolvem aplicativo que localiza animais de estimação perdidos

Depois de terem passado pelo trauma de perder animais de estimação na adolescência, dois moradores do DF se uniram a um amigo de Florianópolis (SC) para desenvolver um aplicativo que ajuda a localizar animais perdidos. O aplicativo ainda avisa sobre vacinas vencidas e outros cuidados, como controle do peso.

O sistema, lançado há dois mês, atende usuários de todo o Brasil. Além do aplicativo mobile, que concetra informações sobre o animal, é possível comprar um apetrecho para coleira que possui código de identificação para "pet".

Quem encontra o animal perdido, não precisa ter o aplicativo no celular. Na coleira fica disponível o endereço de um link para ser acessado e encontrar informações do destino do bichinho.

Apesar da ideia ser recente, já mostra resultados. A moradora do DF Deliane Rodrigues, de 26 anos, dona de dois gatos, Maike e Mafalda, ficou sabendo do aplicativo pela internet e resolveu usar. O Maike, que é o mais levado, sempre foge de casa e gera preocupação para dona, que tem medo de perdê-lo. Por isso, Deliane se sentiu motivada a testar os dispositivos.

Pouco tempo depois de começar a usar o aparelho, Maike fugiu. Desta vez, foi encontrado por uma pessoa que mora perto da casa. O vizinho visualizou as informações na coleira, e Deliane recebeu a intimação que informava o aparecimento do seu bichinho.

? O aplicativo é muito bom, a ideia é boa, já indiquei para outras pessoas. Meus gatos são extensão da família.

Projeto

Antes do trabalho se consolidar, dois dos idealizadores, sentiram na pele o sofrimento de perder um animal. Na adolescência de Bruno Souza, 31 anos, ele perdeu dois cachorros e conta que a fase foi complicada. Seu amigo, o Ednaldo Souza, também passou pela mesma experiência quando perdeu um gato.

Depois das perdas, surgiu a motivação para este trabalho, a criação do aplicativo. Os dois que estudaram juntos e são formados em Sistema de Informações, sempre quiseram impulsionar um produto com um conceito que achassem interessante.

Bruno e Ednaldo participaram de uma ação aceleradora na Califórnia, onde conseguiram ampliar a ideia. Bruno conta que eles apresentaram a ideia para um amigo, Marcos Buson, que é designer de produtos, e montaram a sociedade.

Eles estiveram na Califórnia de abril a agosto de 2013. Quando chegaram ao Brasil, continuaram trabalhando com o projeto que este ano começou a funcionar. Atualmente existem duas sedes, uma no DF e outra em Florianópolis (SC).

Bruno conta que está satisfeito com o trabalho, que veio ajudar as pessoas que passam pela dor que ele já conhece.

? A sensação é de dever cumprido. Era um sonho para nós realizarmos o projeto. Estamos apenas no começo de uma jornada. Esperamos mudar a vida das pessoas aqui no Brasil. Acabar com a dor de muitas pessoas.

Fonte: r7