Preços do novo iPad vão de US$ 499 a US$ 829 nos Estados Unidos

Preços do novo iPad vão de US$ 499 a US$ 829 nos Estados Unidos

O portátil tem processador A5 de dois núcleos, câmera frontal e é 33% mais fino do que seu antecessor

Steve Jobs, diretor-executivo da Apple, surpreendeu nesta quarta-feira (2) ao interromper sua licença médica para apresentar a nova geração do tablet iPad, que será lançado em 11 de março nos Estados Unidos com preços que vão de US$ 499 a US$ 829. A novidade disponível nas cores preta e branca também será lançada em 26 outros países no dia 25 de março: entre eles Austrália, Áustria, Bélgica, Reino Unido, Itália, França, México, Alemanha e Finlândia. Não há informações sobre data de lançamento no Brasil.

O portátil tem processador A5 de dois núcleos, câmera frontal e é 33% mais fino do que seu antecessor (tem 8,8 mm). O iPad 2 também tem 590 gramas, contra 680 gramas do modelo ?antigo? e oferece giroscópio (tecnologia que cria uma sensação melhor de movimento que o acelerômetro). Ele também transmitirá vídeo para outros equipamentos com resolução Full HD (1080p). Para ter acesso a vídeos de alta definição, o usuário deverá reembolsar cerca de US$ 40 para comprar um acessório que faz a conversão da saída padrão da Apple para HDMI.

O novo iPad será vendido da mesma forma que a versão anterior, com base nos tipos de conexão sem fio e capacidade de armazenamento. Os modelos apenas com Wi-Fi serão vendidos por US$ 499 (16 GB), US$ 599 (32 GB) E us$ 699 (64 GB). Já as versões do tablet com Wi-Fi e 3G custarão US$ 629 (16 GB), US$ 729 (32 GB) E US$ 829 (64 GB). Os valores são os mesmos cobrados no lançamento da primeira geração.

No Brasil, a primeira versão do iPad começou a ser vendida no dia 3 de dezembro do ano passado -- quase oito meses de atraso com relação aos Estados Unidos. Em 2010, segundo afirmou Steve Jobs nesta quarta-feira, sua companhia vendeu 15 milhões de iPads. A fatia de mercado do computador portátil é de 90% entre os modelos tablets.

Guerra de tablets

Com a apresentação e início da vendas do iPad no ano passado, a concorrência começou a fabricar aparelhos que estivessem à altura do tablet da Apple. O mercado de tablets está tão aquecido que, segundo a empresa de pesquisa PRTM, no fim de 2010 havia cerca de 30 modelos disponíveis no mercado. Atualmente, há 102 tablets de 64 fabricantes que estão disponíveis para a venda ou em desenvolvimento para lançamento.

Um dos ?pontos de partida? para o crescimento do número de tablets nesse início de ano foi o lançamento de vários modelos na CES 2011 (feira de tecnologia realizada nos Estados Unidos) e no Mobile World Congress (evento de empresas de tecnologia móvel realizado na Espanha).

Na feira dos Estados Unidos, marcas como Motorola e Sharp apresentaram modelos com o sistema Android do Google. Um dos destaques foi o Xoom da Motorola, um dos primeiros tablets com tela de 10 polegadas e processador de dois núcleos.

Já na evento espanhol, Samsung, Toshiba, HTC e LG mostraram seus concorrentes . Os principais recursos dos tablets são: câmera que grava imagens em 3D (caso do LG Optimus Pad), tamanho aliado com câmeras que filmam em alta-definição (caso do Samsung GalaxyTab 10.1) e portas USB (caso do tablet da Toshiba, ainda sem nome).

Correm ainda por fora da chamada ?guerra dos tablets? a RIM, fabricante da BlackBerry, com o tablet Playbook e, mais recentemente, a HP com o TouchPad, que virá com o sistema WebOS, desenvolvido pela Palm.

No Brasil, os únicos modelos comercializados disponíveis no varejo são o Apple iPad (que chegou oficialmente ao Brasil em dezembro) e o Samsung GalaxyTab

Fonte: UOL