Projeto Robótica Formando Cidadãos beneficia 100 crianças no PI

São aulas de matemática, física, inglês, lógica e lógica.

Várias competições de robótica são realizadas periodicamente no Brasil e no mundo. Muitas, como a RoboCup e a Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), tem como objetivo disseminar e popularizar a robótica entre estudantes e entusiastas, incentivando-os a entrar no mundo da tecnologia.

Visando contribuir com essa importante área em desenvolvimento o Laboratório de Robótica, Automação e Sistemas Inteligentes (Labiras) lançou o projeto “Robótica Formando Cidadãos”. Flávio Alves dos Santos, que é um dos coordenadores do projeto, explica qual o objetivo do Labiras que já beneficia quase 100 crianças e adolescentes de escolas públicas e particulares de Teresina.

“É um projeto social, cuja proposta é formar oficinas de robótica para crianças. De início, já temos três turmas, com alunos daqui mesmo do Instituto Federal do Piauí (IFPI), alunos do Maranhão e da Associação de Escoteiros do Piauí. Está previsto para firmar um contrato de parceria com a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc), Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc), Secretaria Municipal de Educação de Teresina (Semec) e o Cidade Olímpica, para conseguir formar mais turmas e pagar equipamentos e fornecer conteúdo tecnológico para as crianças”, explica.

Que se destaca por ser um projeto de robótica educacional focado em alunos do ensino fundamental e médio da rede pública de ensino do Piauí e Maranhão com o objetivo de difundir a robótica como conteúdo inclusivo e instrutivo na grade curricular desses alunos.

Com conteúdos multidisciplinares o projeto serve como um elo de ligação entre teoria e prática dando sentido aos conteúdos vistos em disciplinas como matemática, física, inglês, lógica. Além de disseminar conhecimentos sobre a área. No entanto, Flávio acrescenta que as crianças chegam sem saber praticamente de nada, já que não há abordagem nas escolas públicas do estado.

“No Piauí, o que saber sobre robótica é que em alguma escola particular, alguém recebeu um prêmio por ter feito alguma coisa, ou seja, não temos praticamente nada voltado para esta área. Um robô você compra em uma loja, vem com manual, mas é necessário preparação teórica e , principalmente, prática. No projeto, nós procuramos aproximar cada vez mais a robótica da realidade vivida pelas crianças que estão ali querendo aprender”, esclarece.

São ministradas aulas de matemática, física, inglês, lógica e lógica de programação onde são contextualizadas à introdução a robótica e ocorrem na sede do Instituto Federal do Piauí- Campus Teresina Central aos sábados das 08h às 12h e já de início, participam cerca de 100 alunos divididos em turmas de acordo com a faixa etária e instituição com foco na Olimpíada Brasileira de Robótica.

Professor responsável por repassar conteúdo sobre Lógica Matemática, Felipe Resende, formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas, pelo IFPI, conta que o conhecimento obtido é levado pelas crianças paar as escolas ondem estudam.

“As turmas são formadas com alunos de séries variadas. Além disso, a aplicação do conteúdo aqui acaba que ajudando eles nas escolas ondem estudam, pois tais instituições trabalham com base cientifica bem complica. Tudo que ensino sobre lógica matemática será utilizado por eles nas series seguintes. E, no primeiro contato, já deixamos claro que robótica não é nenhum bicho de sete cabeças. Para conseguir bom desempenho, eu analiso cada um dos alunos e procuro atender a necessidade de cada um. É uma relação, sem dúvidas, de reciprocidade”, afirmou.

A iniciativa focará em outras atividades com foco em robótica prática, aplicada ao ensino e desenvolvimento de projetos, difundindo e popularizando a atividade no estado.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title


Fonte: Ascom