"Psicologa Honesta" vira sensação no Facebook com os conselhos sinceros

Sucesso das tirinhas já rendeu mais de 150 mil curtidas e até página "fake"

O que fazer ao fim de um relacionamento, depois de ter tatuado o nome do ex, Caio? "Complete: Caio, mas sempre levanto", sugere a "Psicologa Honesta". O perfil fictício hospedado no Facebook foi criado por um cearense e, em menos de 20 dias, já recebeu mais de 150 mil curtidas.



As tirinhas que representam as consultas em que a "Psicologa Honesta" (sem acento por um erro de grafia do autor) dá conselhos sinceros e atravessados como o descrito acima são publicadas todos os dias por João Mirio Pavan, de 22 anos, estudante de Sistemas de Informação e produtor de arte.

Seguindo a onda de perfis humorísticos surgidos no Facebook, como "Dilma Bolada" e "Gina Indelicada", a ideia de parodiar consultas de psicólogos em uma página no Facebook partiu de conversas com amigas do ramo, que comentavam sobre casos de pacientes com problemas simples, que nem precisariam recorrer a um profissional.

Reclamação

A conduta "honesta" do perfil já incomodou profissionais na área, conta Pavan. Alguns reclamaram que o tom jocoso das situações mostradas nas tirinhas "desvalorizava a profissão", diz ele.

Em uma delas, por exemplo, um paciente questiona: "Meu celular quebrou. O que vou fazer sem WhatsApp?" Como quem se concentra para pensar em uma solução, a psicóloga responde: "Hummm. Viver".

"Eu fui explicar para o psicólogo que ninguém iria pagar R$ 300 para perguntar o que fazer sem WhatsApp. Geralmente acionam psicólogos por uma questão mais profunda", conta.

"Eu estava até pensando esses dias: se os psicólogos soubessem o tanto de gente que fica me perguntando sobre as coisas, eles fariam uma parceria", brinca Pavan. Sem brincadeira, ele conta que uma mulher lhe perguntou o que fazer sobre os problemas de uma filha. "Eu tive que explicar que é só humor, que não estou preparado para atender". Não raro, acrescenta, fazem questionamentos sobre orientação sexual.

"Fake"

Criada no dia 17 de janeiro, a página conta com os desenhos do espanhol Molg H. (veja aqui). Pavan diz que não tinha a pretensão de causar tanto burburinho. Após publicar a primeira tirinha, foi à padaria. Quando voltou, a imagem contava com 400 curtidas e 600 reclamações, devido à falta do acento em "Psicologa". "Uma delas dizia: "o seu humor é inteligente, pena que seu português não seja"", conta Pavan. Ele bem que tentou reparar o erro, mas foi barrado pela popularidade: o Facebook só libera correções para páginas com menos de 100 curtidas.

Sobre o sucesso inesperado (algumas postagens são curtidas mais de 4 mil vezes), o estudante palpita: "Eu acho que o grande sucesso da página é porque alguém tem um amigo que se encaixa na situação da tirinha e curte o post para dar uma indireta".

A assiduidade ao consultório virtual da "Psicologa Honesta" já motivou até a criação de uma página falsa sobre ela: "A Psicóloga Honesta". "Copiar, não tem problema, não. Eu fico na minha. O problema é que essa página é muito racista, fica colocando tirinhas pesadas sobre negro, homossexual", diz Pavan, que afirma tê-la denunciado à Polícia Federal.

Já os psicólogos, antes desgostosos, agora viraram parceiros. A pedido de um deles, Pavan publicou uma postagem solicitando assinaturas para uma campanha on-line que quer pressionar o Conselho Federal de Psicologia a atuar contra os baixos salários pagos a esses profissionais.

Fonte: G1