Relatório diz que Facebook monitora pessoas na internet mesmo que elas não tenham conta

Relatório diz que Facebook monitora pessoas na internet mesmo que elas não tenham conta

O objetivo do rastreamento monitoramento do site seria direcionar publicidade para usuários de forma mais eficiente.

Um extenso estudo financiado pela agência de proteção de dados digitais da Bélgica chegou à conclusão de que a maior rede social do mundo, o Facebook, monitora a navegação de usuários na internet mesmo quando eles não possuem conta no site.

A pesquisa foi feita por pesquisadores do departamento de Segurança da Computação e Criptografia Industrial (Cosic, na sigla em inglês), da Universidade de Leuven, do departamento de mídia e telecomunicações (Smit, em inglês) da Universidade Livre de Bruxelas.

De acordo com os pesquisadores, o monitoramento é realizado sem o consentimento dos usuários, estejam eles logados no Facebook ou não, e mesmo sobre pessoas que não se registraram no site — o procedimento continua a acontecer mesmo que os usuários explicitamente optem por não fazer parte dele na Europa. O objetivo do rastreamento monitoramento do site seria direcionar publicidade para usuários de forma mais eficiente.

Esse monitoramento seria realizado por meio dos chamados arquivos cookies (que possuem registros de navegação) instalados nos computadores dos usuários quando eles visitam qualquer página do domínio facebook.com, incluindo páginas de fãs e outras que não requerem autenticação. A comunicação entre o Facebook e os cookies é feita também quando o usuário visita qualquer página que tenha um plugin da rede social, mesmo que ele não clique no botão "curtir" ou em outras extensões do site.

A postura do Facebook infringe a legislação da União Europeia a respeito do tema, que exige o consentimento prévio do usuário antes da instalação de cookies em seus computadores, a não ser que o procedimento seja necessário para a conexão ao serviço ou para a entrega de um tipo de serviço requisitado pelo usuário. A mesma legislação também exige que os sites que utilizam essa artimanha notifiquem os usuários a respeito em sua primeira visita às suas páginas.

Em seus termos de uso, o Facebook informa que coleta informação de usuários quando estes visitam ou usam sites ou aplicativos de terceiros que se conectam à rede social.

"Isso inclui informação sobre os sites e apps que você visita, o seu uso dos nossos serviços nestes sites e apps, bem como informações que os desenvolvedor ou responsável pelo app ou site nos envia", afirma os termos da rede social.

De acordo com o relatório, mesmo quando os usuários optaram por explicitamente não enviar mais informações para o site por meio de cookies o monitoramento continuou. Foi observado, por exemplo, que ao iniciar o procedimento para recusar o monitoramento (chamado de "opt-out"), o Facebook instala um cookie na máquina do usuário, até naqueles que não eram monitorados antes.

Questionado pelo britânico "Guardian" sobre o relatório, um porta-voz do Facebook afirmou que o estudo contém "incorreções factuais", e que a companhia não foi contactada pelos pesquisadores para esclarecer quaisquer questões, apesar da rede social os ter procurado — o que foi negado pelos pesquisadores.

 
Fonte: O Globo