Smartphone da Nokia com Windows demora a decolar, diz analista

Smartphone da Nokia com Windows demora a decolar, diz analista

Lumia 800 conta que apenas 2% da preferência dos europeus

Os ansiosamente esperados telefones da Nokia com plataforma Windows podem ter chegado tarde na guerra dos smartphones dominada por Apple e Google, apesar das críticas positivas dos especialistas.

Seu primeiro modelo Windows, o Lumia 800, atraiu pouco interesse dos consumidores, contando com apenas 2% da preferência de europeus à procura de um smartphone, de acordo com uma pesquisa da Exane BNP Paribas.

Analistas disseram que não há nada particularmente errado com o dispositivo, além de um problema de software em alguns aparelhos que afeta a duração da bateria, mas os consumidores simplesmente não foram fisgados.

Os smartphones que utilizam o software da Microsoft possuem apenas 2% de participação de mercado, comparados com 50% do sistema operacional Android, do Google, e de 15% a 20% da Apple.

"Não há muito espaço sobrando para um terceiro ecossistema. O mercado de smartphones está se consolidando rapidamente", disse Pierre Ferragu, analista da Bernstein.

As ações da Nokia caíram mais de 20% desde 26 de outubro, data do lançamento do novo telefone, com os investidores temendo que a Nokia seja incapaz de reaver a participação no mercado que perdeu nos últimos anos para concorrentes como a Apple.

Os telefones que utilizam o Symbian, antigo software da Nokia, que foi liquidado a favor da Microsoft, ainda estão em circulação e superam em vendas os telefones com Windows.

Mas, à medida que a Nokia continua mudando para o Windows, as vendas do Symbian têm espaço para decepcionar mais nos próximos trimestres e alguns analistas estão alertando sobre dividendos mais baixos e lucro mais fraco que o esperado à frente.

Primeiro passo?

Representantes da Nokia defenderam o Lumia, e um porta-voz disse que há um "momento positivo", embora não tenha fornecido dados para respaldar a afirmação.

Há analistas que afirmam que as preocupações sobre o futuro da companhia finlandesa estão precificados nas ações, embora a companhia tenha forte posição de caixa e algumas boas patentes que podem atrair interessados.

"Com os atuais e futuros modelos (de aparelhos), a Nokia pode retomar market share tanto no mercado de smartphones quanto no mercado de telefones básicos", disse Jari Honko, do Swedbank. "O preço atual das ações não levam em consideração qualquer recuperação da posição de mercado da Nokia".

Fonte: G1