SP e Rio têm velocidade mais alta de 3G, mas área de cobertura é ruim

RJ e SP: Estados que apresentam melhores médias na velocidade de conexão 3G, segundo uma avaliação da associação de consumidores Proteste .

São Paulo e Rio de Janeiro são os Estados que apresentam melhores médias na velocidade de conexão 3G, segundo uma avaliação da associação de consumidores Proteste - as taxas de download chegaram a 3,37 Mbps (megabits por segundo) no primeiro caso e 1,68 Mbps no segundo. No entanto, as áreas de cobertura nessas e outras regiões do país ainda deixam a desejar. Ou seja: o usuário até consegue acesso rápido quando há sinal, mas muitas vezes não é possível conectar-se à rede.

A taxa de 3,37 Mbps de São Paulo foi obtida com a Claro, que é a operadora com menor área de cobertura (36% em São Paulo; 33% no Brasil). Já no Rio, o valor de 1,68 Mbps refere-se à Vivo (50% de áreas cobertas no Estado e 51% no país). A análise da cobertura oferecida pelas quatro grandes operadoras de telefonia móvel ? Claro, Oi, Tim e Vivo ? foi divulgada em um relatório que apontou o 3G no país como "decepcionante".

Para a avaliação, os técnicos percorreram 5.000 km de rodovias em 12 Estados durante o teste nacional. Os testes foram realizados de 4 de março a 25 de abril no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

As operadoras oferecem até 1 Mbps nos planos 3G tradicionais, mas nos pacotes avançados a velocidade é maior ? o sinal mais potente é chamado de 3G+ (HSDPA) e está disponível para clientes da Claro, Tim e Vivo. O 3G Max da Claro, por exemplo, promete "velocidade até seis vezes mais rápida" que a da tecnologia convencional.

A velocidade de download (dados enviados da torre celular e recebidos pelo dispositivo) é a usada pelas operadoras como valor de referência na venda dos pacotes de 3G. Se a operadora anuncia que o plano é de "1 Mbps", esse valor se refere ao download de dados.

Já a velocidade de upload (dados enviados do dispositivo à torre celular) é em geral menor que a de download. Isso ocorre porque o usuário tem maior necessidade de baixar dados para o celular (para assistir a um vídeo online, por exemplo) do que enviá-los (como ao subir um vídeo no YouTube).

Na questão da cobertura do sinal da rede 3G, a operadora com pior desempenho segundo a Proteste foi a Claro. Ela apresentou ter sinal 3G em 36% das medições. A segunda pior foi a Vivo, com 57%. A Oi mostrou ter sinal 3G em 64% das medições e a Tim, 65%.

Mais resultados

A Proteste constatou que nenhuma das quatro grandes operadoras de telefonia móvel ? Claro, Oi, Tim e Vivo ? cobre mais de 51% dos trechos percorridos, sendo que a região Sul é a menos coberta por qualquer tipo de sinal.

A Claro, a pior entre as avaliadas, mostrou cobertura 3G em apenas 33% das medições e nenhum sinal em 57% das medições. A Vivo, melhor entre as avaliadas, teve 51% de cobertura 3G e 23% das medições sem cobertura.

No pior cenário, no Sul, o cliente Tim não se conectou à rede em oito a cada dez vezes. No melhor, no Nordeste, com a Vivo, a internet móvel funcionou em sete em cada dez caso.

Respostas das operadoras sobre o teste

A Claro informou por nota que "realiza investimentos constantes para a expansão de sua rede e ampliação da capacidade já instalada". A empresa afirma ter sido a operadora com "os melhores resultados nos indicadores de acesso a dados no mês de abril, sendo a única a atingir a meta também para a rede 2G", segundo a última avaliação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), divulgada no dia 26 de julho. Ainda segundo a operadora, até 2014, serão investidos R$ 6,3 bilhões no país em infraestrutura de rede.

A Oi informou que "está investindo fortemente na expansão da cobertura e da capacidade da rede 3G em todo o país". Segundo a empresa, de janeiro a junho deste ano, sua rede 3G chegou a mais de 170 novos municípios e que, em 2012, "o número de municípios cobertos pela rede 3G da empresa cresceu 155%". A Oi informou também que as estradas são cobertas, principalmente, com sua rede 2G e que tem foco na melhoria da qualidade da da experiência dos seus clientes. Como complemento à rede 3G, a Oi afirma que está investindo no serviço de internet móvel Oi Wi-Fi.

A Tim afirmou por meio de nota que está avaliando os resultados do teste feito pela Proteste para verificar oportunidades de melhoria em sua rede 3G ao longo das estradas brasileiras. A operadora chama atenção, no entanto, para o fato de que "as estradas brasileiras são rodeadas por montanhas e outros acidentes geográficos que podem impactar a qualidade da cobertura". Segundo a Tim, no triênio que vai até 2015, 90% do seu investimento de R$ 10,7 bilhões serão utilizados em projetos de infraestrutura.

A Telefônica Vivo afirmou que a maior parte dos recursos investidos nos últimos anos foi na "expansão e modernização da infraestrutura de redes e sistemas". Segundo a operadora, os investimentos da empresa totalizaram a R$ 6,1 bilhões em 2012. A empresa informou que está construindo novas rotas para 3G e 4G, mas afirma existir áreas possíveis de atender apenas via satélite.

Fonte: UOL