UFRJ apresenta protótipo de trem de levitação magnética

Projeto prevê primeiro trajeto dentro da universidade

O Instituto de pós-graduação e pesquisa em engenharia da UFRJ (Coope) divulgou nesta sexta (29) imagens do protótipo de um novo trem de levitação magnética - o maglev Cobra.

O design está sendo elaborado pela área de desenho industrial do Instituto Nacional de Tecnologia (INT). O projeto piloto do veículo é gerenciado pelo Laboratório de Aplicações de Supercondutores da Coppe e prevê sua instalação em um percurso de 130 metros ligando o antigo e o novo prédio da Coope.

Segundo a UFRJ, o governo do Estado do Rio estuda usar o trem também para ligar o Aeroporto internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, ao Santos Dumont, no Centro do Rio.

Segundo a UFRJ, o prazo para a conclusão do protótipo é março de 2010, quando ele será levado para os primeiros testes na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro. A fase seguinte será a ampliação do trajeto dentro da universidade para quatro quilômetros.

Além da vantagem de não poluir o ambiente, o veículo poderá aproveitar trajetos de vias férreas e metrô já estabelecidos, aproveitando o espaço entre trilhos. Alguns países como China e Coréia já utilizam tecnologias semelhantes, mas são trens para grandes distâncias e só levitam quando atingem altas velocidades.

A tecnologia que está sendo desenvolvida para o maglev Cobra é especificamente para o transporte urbano, podendo trafegar até 70 km/h com um diferencial de estar sempre levitando, seja parado ou em movimento.

De acordo com a UFRJ, o maglev é impulsionado por forças magnéticas atrativas e repulsivas, ativadas através de supercondutores. O veículo terá capacidade total para 28 pessoas e flutuará a uma velocidade máxima de 30 km/h.

A carroceria do protótipo será desenvolvida pelos laboratórios de Ergonomia e de Prototipagem Rápida do INT, com a participação de engenheiros especialmente contratados para o projeto, que terá cerca de R$ 500 mil da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

Fonte: g1, www.g1.com.br