Windows 8 para tablets terá aparência diferente da nova versão para PCs

Windows 8 para tablets terá aparência diferente da nova versão para PCs

Com "máscara", programa ficaria mais amigável para tela sensível ao toque.

O presidente da Microsoft, Steve Ballmer, afirmou em janeiro, na abertura do Consumer Electronics Show 2011, que a nova versão do sistema operacional Windows será compatível não apenas com os computadores tradicionais, com arquitetura Intel, mas também com equipamentos mais leves, com processadores ARM e tela sensível ao toque. Mas embora PCs e tablets compartilhem as entranhas do Windows 8, cada tipo de aparelho poderá exibir uma "cara" diferente, mais adaptada ao formato do aparelho.

Segundo fontes ligadas à empresa de Redmond, a decisão da Microsoft de criar uma interface gráfica específica, e não um sistema operacional completamente independente para tablets, foi tomada com base na percepção da empresa de que o principal ativo da companhia é a onipresença do Windows -- e do pacote Office -- no ambiente corporativo.

"Acreditamos que o usuário vai querer fazer com o tablet tudo o que ele faz em seu computador no escritório", afirmou, ao G1, o vice-presidente sênior da divisão de comunicações móveis da Microsoft, Andy Lees, durante evento no Mobile World Congress de Barcelona. Por isso, segundo Lees, a empresa desistiu de simplesmente adaptar o Windows Phone 7, sistema operacional da empresa utilizado em telefones celulares e que será adotado pela Nokia, para a tela maior dos tablets.

A principal vantagem, do ponto de vista do consumidor, é que será possível utilizar, nos tablets, programas desenvolvidos para Windows. Isso não é possível, por exemplo, com o iPad, que não é compatível com aplicativos criados para computadores Mac.

Tentativa frustrada

Lees, no entanto, sabe que a Microsoft já tentou usar uma versão completa do Windows, praticamente intocada, em aparelhos sem mouse e teclado. Em 2001, a empresa lançou o conceito de ?Tablet PCs?, computadores com tela sensível ao toque rodando Windows.

Sem adaptações de interface e com preço alto para a época, o produto fracassou. Nove anos depois, em 2010, a Apple conseguiu, utilizando um sistema originalmente criado para celulares, fazer do iPad o maior sucesso de vendas do ano no setor de tecnologia.

"O fato de utilizarmos o mesmo sistema operacional, com todas as funções, não significa que a interface será a mesma", afirmou Lees. Um engenheiro ligado ao desenvolvimento do novo Windows confirmou ao G1 que a empresa testa o uso de uma "máscara" adaptada para comandos feitos com o toque da ponta dos dedos, e não mais pelos tradicionais cliques do mouse.

Até mesmo a interface Metro UI, que nasceu para o tocador de vídeos e MP3 Zune, passou para o Windows Media Center, e agora é usada em todos os telefones com sistema da Microsoft, está sendo testada pela Microsoft. Seria, no caso, uma maneira de criar uma "ponte" unindo o sistema para telefones ao utilizado em tablets e PCs.

Por enquanto, nem a interface para a versão tradicional do Windows 8 é conhecida. Durante a apresentação na CES 2011, Steve Ballmer enfatizou que as máquinas que rodavam a nova versão do sistema operacional, compilado para processadores com arquitetura ARM, ainda exibiam elementos da interface gráfica Aero, do Windows 7.

Abordagem diferente

A estratégia adotada pelas maiores concorrentes da Microsoft -- a Apple, com o iPad, e o Google, dono do sistema Android -- é diferente. Na companhia de Steve Jobs, por exemplo, o iPhone até chegou a ser anunciado, em 2007, como um telefone rodando Mac OS X. Mas, quando chegou ao mercado, o que se viu foi um aparelho com sistema que bebia nas mesmas fontes -- ou seja, Unix -- que os computadores da Apple, mas sem compatibilidade com os programas feitos para a plataforma Mac OS X.

O Google também mantém linhas diferentes de desenvolvimento para computadores tradicionais e para tablets e celulares - embora, no caso da gigante das buscas, o jogo tenha se invertido, já que o sistema para PCs, o Chrome OS, é mais novo que o Android.

Fonte: g1, www.g1.com.br