Telefonia Móvel exige grandes investimentos

Telefonia Móvel exige grandes investimentos

A VIVO é a única empresa de telefonia que não recebeu ações administrativas ou judiciais.

A telefonia móvel no Piauí tem crescido de maneira acentuada na última década, tanto que o número de aparelhos celulares triplicou de 2005 para cá, atingindo em 2011 a marca dos 3 milhões de linhas ativas.

Com essa crescente expansão, os clientes exigem a cada dia a melhoria nos serviços, com a abrangência das linhas em todo o Estado, bem como a qualidade na assistência.

Ao longo dessa semana, a série SOS Telefonia mostrou as ações e medidas tomadas por órgãos competentes para resolver os problemas da telefonia móvel no Piauí. Na matéria de hoje vamos mostrar o que as empresas têm feito para melhorar o fornecimento do serviço no Estado.

O plano de ampliação proposto pelas empresas para cumprir a ordem do Ministério Público Federal trouxe aos consumidores a esperança de melhoria desses serviços. Pois é através desse plano que as companhias de telefonia terão que solucionar em tempo hábil os problemas mais comuns do sistema.

A TIM, primeira empresa de telefonia a ser instalada no Piauí, hoje chega a 62 municípios do Estado, abrangendo cerca de 81% da população urbana.

Em virtude da ação civil pública movida pelo MPF, a operadora afirmou que ?continua executando com rigor o plano de expansão no Estado, que prevê a implantação de novas Estações Rádio Base (ERBs), a modernização e a substituição de outros elementos de rede para melhoria da qualidade dos serviços oferecidos?.

Além disso, a TIM também informa que está trabalhando na ampliação da capacidade de tráfego de voz e dados no Piauí. Segundo a empresa, no triênio 2011- 2013, a previsão de investimento em todo o país será de R$ 8,5 bilhões, 85% do valor para a estruturação e manutenção de uma rede ainda mais sofisticada.

A Claro, por sua vez, apesar de atuar a menos tempo no mercado piauiense, já adquiriu uma fatia de 37,64% da população, obtendo a maior cobertura, com a presença em 109 municípios do Estado, o que corresponde a 84% da população.

Apontada pelo MPF pela má qualidade dos serviços, ?a operadora informa que aguarda a decisão final do processo em questão para se manifestar a respeito desse assunto e ressalta, no entanto, que não há liminar desfavorável à Claro?.

A empresa também destacou que ?investe constantemente em qualidade e expansão de sua rede no Piauí?.

Nazária é a única cidade do Piauí sem cobertura

Com a proporção de praticamente uma linha para cada piauiense é possível se pensar que todos os 224 municípios do Piauí já ofereçam sinal de pelo menos uma das quatro operadoras de telefonia móvel que operam no Piauí.

Mas o município de Cristino Castro, localizado a 612 km de Teresina, ficou conhecido no final do ano passado por configurar entre as cinco cidades do Brasil e a única do Piauí que não possui os serviços de telefonia móvel.

Segundo o gerente da Anatel no Piauí, Carlos Bezerra Braga, a operadora VIVO chegou no final de dezembro ao município e já está em pleno funcionamento.

Apesar de entrar para a lista das únicas cidades do país sem sinal de celular, Braga afirmou que Cristino Castro já teve há alguns anos o sistema de telefonia, no entanto, pela tecnologia TDMA (Time Division Multiple Access), cujas redes foram desativadas em todo o país em 2009.

?Quem atendia à região era a TIM, mas com a questão de modernização deixou de funcionar.Mas lá ainda era no sistema TDMA, tecnologia utilizada naqueles primeiros aparelhos. A previsão é de que ela retorne até o final do primeiro trimestre de 2012, por conta do plano de ampliação dos serviços?, explica o gerente da Anatel no Piauí.

Um novo levantamento da Anatel mostrou que o Estado ainda possui um município sem cobertura de celular: Nazária, a 30 km de Teresina. Constituída cidade apenas em 2009, a localidade com pouco mais de 8 mil habitantes ainda está na espera pelo desenvolvimento nesse setor.

Investimento em tráfego de dados 3G

Já a OI, cuja fatia de mercado da telefonia móvel no Estado corresponde a 16,94%, com mais de 540 mil linhas ativas, está em terceiro lugar em termos de atuação da telefonia móvel.

Sendo também líder no mercado de telefonia fixa no Estado, o estudo do Sindicato dos Trabalhadores de Telecomunicações no Piauí mostrou que a empresa atende 96,25% dos usuários.

Quanto aos investimentos, a OI informa que essa é uma das prioridades da empresa. Os investimentos entre julho e setembro em todo o país totalizaram quase R$ 1 bilhão. A empresa ressaltou ainda que em 2011 foram mais de R$ 2,8 bi.

No setor da telefonia móvel, a empresa ressalta que os investimentos foram direcionados ?para expansão da cobertura e para o aumento de capacidade de tráfego de dados 3G?.

Quanto aos serviços de telefonia fixa o ?investimento concentrou-se em projetos de expansão e infraestrutura de banda larga?. A operadora VIVO, com pouco tempo em atuação no Piauí, é a empresa que possui a menor fatia de mercado, com pouco mais de 390 mil linhas ativas, correspondente a 12,27%.

Presente em 96 municípios piauienses, a VIVO é a única empresa de telefonia móvel que não recebeu ações administrativas ou judiciais originadas nas Promotorias de Justiça do Piauí.

Segundo a companhia ?desde que chegou ao Piauí há quase três anos, investe continuamente em expansão de cobertura e qualidade de rede. Só em 2011 foram mais de 30 milhões destinados ao Estado?, informa a operadora em nota.

Fonte: Virgínia Santos