Teresina já registra 25 casos da gripe H1NI ou A e entra em estado de alerta

Só no primeiro trimestre deste ano já foram registrados 25 casos da síndrome respiratória aguda

Com a mudança climática, já começaram a aparecer os casos de gripes em Teresina, deixando a população em alerta para o aparecimento dos casos da gripe H1N1.

Só no primeiro trimestre deste ano já foram registrados 25 casos da síndrome respiratória aguda, e se comparado a 2012, com 38 casos, o número já deixa a população em alerta.

Segundo a coordenadora de Epidemiologia da Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi), Amélia Costa, já há um paciente internado com o vírus H3N2, derivado da gripe A, que tem como sintomas tosse forte, prostração e febre alta.

"Nós estamos em situação de alerta, pois já temos um caso confirmado em Teresina desta gripe. É importante o paciente que está com sintomas da gripe procurar o médico imediatamente, pois quanto antes for constatada a gripe, maiores as chances de cura", explicou.

Na capital existe nove unidades de referência, preparadas para tratar a doença. Conforme explica Amélia Costa, o paciente deve procurar a unidade para a realização do exame, posteriormente encaminhado ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), responsável por fazer o controle e levantamento do número de casos.

"Hoje nós temos em Teresina nove sentinelas equipadas para o tratamento nos Bairros Santa Maria da Codipi, Buenos Aires, Promorar, Parque Piauí, Dirceu, Mocambinho e Satélite", disse.

A coordenadora explica ainda que já está sendo distribuído o medicamento Tamiflu, para os pacientes com a doença. O remédio é indicado para o tratamento da gripe A.

"A Sesapi já está redistribuindo o Tamiflu para as unidades de saúde, para o tratamento ser iniciado o mais rápido possível. Alerto mais uma vez a população, que ao sentirem os sintomas, procurar o médico imediatamente", concluiu a coordenadora.

Vacinação contra gripe em Teresina acontece de 15 de abril a 3 de Maio

Às vésperas do início de mais uma campanha nacional de vacinação contra a gripe, que neste ano acontece entre os dias 15 de abril e 3 de maio em Teresina, é tempo de as gestantes incluírem em sua rotina de cuidados uma ida ao posto de saúde mais próximo para se vacinar sem receio de possíveis problemas.

?Estudos têm demonstrado a segurança da vacinação em qualquer momento da gravidez?, relata Amparo Salmito, gerente de epidemiologia da Fundação Municipal de Saúde ? FMS.

A Fundação Municipal de Saúde já reuniu todos os componentes das regionais de saúde do órgão para traçarem objetivos e metas para a realização da 15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza.

Com o slogan ?Quem lembra da vacina se protege da gripe? a campanha terá o Dia D em Teresina na data 20 de abril, que é o dia de mobilização nacional.

Nesta campanha, além de indivíduos com 60 anos ou mais de idade serão vacinados os trabalhadores de saúde que exercem suas atividades em unidades que fazem atendimento para a influenza, os povos indígenas, as crianças na faixa etária de seis meses a menores de dois anos, as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais e a população privada de liberdade.

?A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, de interesse da saúde pública no Brasil e a principal intervenção preventiva para este agravo é a vacinação?, explica a diretora de vigilância em saúde da FMS, Amariles Borba.

Ela explica ainda que todos os postos de vacinação da rede municipal estarão com estoque disponível para vacinar a população, além de postos volantes, que serão instalados em locais de grande circulação de pessoas. ?Vale ressaltar que os postos volantes não vacinam crianças. Para protegê-las da exposição excessiva?, disse.

A campanha anual contribui ao longo dos anos para a prevenção da gripe nos grupos vacinados, além de apresentar impacto de redução das internações hospitalares, gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias e mortes evitáveis.

Fonte: Francisco Lima e Gisele Alves