Teresina perde o tradicional posto de Cidade Verde

Teresina perde o tradicional posto de Cidade Verde

A capital do Piauí está na 2.942ª posição no ranking das cidades mais arborizadas do Brasil

Segundo dados do Projeto Teresina Mais Verde, de janeiro a setembro foram doadas 26.173 mudas para a população. As mudas plantadas pelo projeto, por sua vez, foram em menor proporção, 3.871 em parques, áreas verdes e avenidas. Ao todo, mais de 30 mil mudas foram distribuídas na capital.

Mesmo assim, a cidade tem, aos poucos, perdido seu título de Cidade Verde. Um estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística realizado este ano aponta que a capital do Piauí está na 2.942ª posição no ranking das cidades mais arborizadas do Brasil. No Piauí, a capital não aparece nem nos primeiros lugares.

Embora o projeto contribua para a conscientização e proliferação de novas áreas verdes, ele não tem sido tão eficaz.

Isto porque a preocupação dos próprios teresinenses com a preservação e plantação de novas árvores praticamente inexiste. Além disso, não há uma legislação que torne obrigatória a preservação de uma área verde em cada terreno. O trabalho é bastante relevante e de suma importância, mas é preciso uma ação conjunta de conscientização.

E não é preciso gastar muito para se conseguir plantar uma árvore. É que além da doação realizada pela Coordenação de Arborização de Teresina, existe um trabalho de manutenção de viveiros que oferecem gratuitamente mudas de todos os tipos para serem levadas para casa.

De acordo com o coordenador de arborização de Teresina, Antônio Romão, nos três viveiros que possuem na capital, qualquer teresinense pode conseguir uma muda, seja de plantas frutíferas ou ornamentais. Na zona Leste, o viveiro fica localizado no cruzamento das Avenidas Universitária e Raul Lopes. Mas é possível conseguir também na zona Sul, na altura do km 7 da BR-316 ou na região Norte da cidade, no Parque Ambiental do Mocambinho, na Avenida Duque de Caxias.

?Toda família de Teresina tem direito a dez mudas nesses viveiros e elas conseguem de graça. Cada árvore quebra a temperatura e é incrível o quanto elas ajudam a melhorar o clima. As pessoas precisam ter mais consciência das vantagens que ela pode trazer?, considera.

Para Valdir Pereira, a sombra de uma mangueira serve muito mais que uma sombra. Na praça no bairro Morada do Sol, mototaxistas e moradores da região se unem todos os dias para jogar dama embaixo da copa de uma árvore.

Além disso, enquanto esperam tem uma rede pronta para ser usada. ?É mais agradável. É menos quente, às vezes dá um vento, é melhor?, conta Valdir Pereira.

Arborização ajuda a melhorar o clima

Um diferencial que se nota na zona Leste da cidade e que contribui bastante para diminuir as elevadas temperaturas é a utilização de plantas para ornamentação do ambiente. Ou seja, as plantas não cumprem apenas o papel de fazer sombra ou deixar o ambiente mais agradável. Restaurantes, entre outros pontos comerciais e até mesmo as residências, utilizam-se do verde das plantas para deixar o ambiente visualmente melhor.

De acordo com a arquiteta Níssia Leite, até mesmo as plantas pequenas, utilizadas dentro de casa, ajudam a melhorar a temperatura do ambiente. ?As árvores e plantas acabam criando um microclima. Além de dar sombra, ela transpira e cria esse microclima e isso faz com que diminua a temperatura do ambiente?, explica.

Para fazer sombra, árvores como a mangueira e o caneleiro, tradicionais na capital, são ideais. Por sua vez, plantas de pequeno porte, como o ficus, também podem ser utilizadas em casa, mas com uma ressalva: essa planta tem raízes muito próximas à superfície e por essa proximidade pode quebrar calçadas.

?É importante você ter uso de planta porque ela sempre traz um microclima, ajuda a amenizar as altas temperaturas e proporciona tanto um conforto térmico como o conforto visual?, finaliza.(V.S.)

Fonte: Virgínia Santos e Francisco Lima