Teresina registrou 628 acidentes de trânsito no 1º trimestre

Zona Sul de Teresina concentra metade das áreas de risco.

Com uma frota de 409.965 veículos, de acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), o trânsito de Teresina tem se tornado a cada dia mais violento. Boletim estatístico da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran) revela que somente nos três primeiros meses de 2015, a capital piauiense foi palco de 628 acidentes.

“Isso sem levar em consideração as ocorrências onde os condutores, por não terem carteira de habilitação, deixam de acionar a perícia e resolvem entre si”, ressalta o capitão Emerson Silva, chefe da Seção de Acidentes da Ciptran.

O boletim estatístico mostra que em janeiro foram registrados 84 acidentes com vítimas e 106 onde ninguém ficou ferido, totalizando 190 ocorrências. Destes casos, 82,63% (157) são colisões e 10,53% (20) abalroamentos.

O abalroamento ocorre quando um veículo colide com outro que está fora do trânsito (parado no acostamento ou estacionado em qualquer lugar). A colisão é registrada entre dois veículos em tráfego. No mês de fevereiro, o número de acidentes convergiu com o levantado em janeiro: foram 75 acidentes com vítimas e 115 sem vítimas.

O índice de colisão em fevereiro chegou a 80% (152 casos), seguido de 13,16% abalroamentos (25). Já março foi o mês onde mais acidentes de trânsito foram registrados em Teresina. De 190 do período anterior, o número aumentou para 248: 77,02% (191) referente a colisões e 18,15% (45) abalroamentos.

Segundo a Ciptran, 16 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito nas vias de Teresina durante o primeiro trimestre de 2015. “Desses 16, 14 foram do sexo masculino e 2 do feminino”, informa o capitão Emerson.

Zona Sul de Teresina concentra metade das áreas de risco de acidentes

A Seção de Acidentes da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito fez um levantamento e detalhou quais são as avenidas e vias de Teresina onde mais ocorrem acidentes. De acordo com os dados, a zona Sul é a campeã de registro de ocorrências dessa natureza. Dos 24 pontos analisados, 12 estão na região.

As Avenidas Miguel Rosa, Barão de Castelo Branco e Maranhão lideram o ranking. De janeiro a março de 2015 foram registrados 24, 19 e 19 acidentes, respectivamente. As outras duas vias da zona Sul que figuram no topo da lista são: Avenida Gil Martins e a Marechal Castelo Branco, 18 e 17 ocorrências.

As zona Leste e Norte da capital empatam no número de pontos mais críticos de acidentes. A Avenida Presidente Kennedy registrou 14 ocorrências, já a Dom Severino, 13. Na região Norte lidera a Avenida Duque de Caxias, com 9 acidentes.

Da zona Sudeste, as vias que aparecem no levantamento da Ciptran são as Avenidas dos Ipês e a Joaquim Nelson, cada uma com 9 registros de acidentes.

O capitão Emerson afirma que a maioria dos casos aconteceu entre a noite e a madrugada. A imprudência dos condutores e desobediência às leis de trânsito representam boa parte das causas das ocorrências. "Na parte da noite eles [condutores] aproveitam que o tráfego é reduzido e ultrapassam os limites da velocidade permitida", completa o chefe da Seção de Acidentes. (I.P.)

Fonte: Jornal Meio Norte