Teresina sedia a Primeira Marcha pela Humanização do Parto

O direito ao acompanhante, orientação sobre o trabalho de parto, escolher a posição que deseja parir são alguns dos direitos.

Profissionais de saúde e mulheres a favor da humanização do parto realizarão a Primeira Marcha pela Humanização do Parto na próxima sexta-feira (23), a partir das 16h, na Praça Rio Branco. A ação, promovida pela Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Obstetras do Piauí (ABENFON-PI) em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, Conselho Regional de Enfermagem do Piauí, Conselho Estadual de Saúde, e movimentos sociais como Fórum de Mulheres Piauienses, Amor de Teresina, e associações de moradores visa melhor informar e sensibilizar a população da importância do nascimento através do parto normal.

O direito ao acompanhante, orientação sobre o trabalho de parto, escolher a posição que deseja parir são alguns dos direitos que a mulher tem ao optar por um parto normal. De acordo Lucimar Ramos, enfermeira e presidente da ABENFON-PI, a realidade obstétrica no Brasil e, em especial, no estado do Piauí, continua apresentando dados preocupantes em virtude das altas taxas de cesariana, que no ano de 2011 foram de 52%.

?A Organização Mundial de Saúde sugere que apenas 15% dos partos sejam cesarianos, mas os dados de cesáreas em hospitais particulares representam mais de 90% do total de partos. Assim, aumenta também o índice das taxas de mortalidade materna e neonatal, que em 2011 representou 16,9 e 12,5 mulheres para 1.000 nascidos vivos. Com isso, é necessário que as gestantes e a comunidade se juntem a nós para alcançar uma mobilização pela humanização do parto normal?, explica Lucimar Ramos.

O Governo Federal disponibiliza por meio do Sistema Único de Saúde a Rede Cegonha para as futuras mães ter uma melhor assistência ao pré-natal, parto, nascimento e à saúde da criança. Com uma atenção obstétrica e neonatal qualificada e humanizada, as mulheres têm o direito de acesso ao parto seguro, acompanhante no parto de livre escolha da gestante e ao planejamento reprodutivo.

?Durante a marcha vamos divulgar o novo modelo de atenção ao parto, que tem como foco a humanização da assistência, bem como mobilizar a sociedade para a importância de eventos como este, que tem como objetivo contribuir para redução das altas taxas de cesarianas e ainda a redução da mortalidade materna e neonatal no Estado?, destaca a enfermeira e presidente da ABENFON-PI.

Fonte: Ícone