Teresinenses devem tomar cuidados com efeitos do B-R-O-BRÓ

Teresinenses devem tomar cuidados com efeitos do B-R-O-BRÓ

Desde o mês de agosto, o teresinense já sentia os efeitos do período mais quente e seco do ano. A umidade do ar baixa, o aumento da sensação térmica e alta radiação solar são algumas das características do famoso B-R-O-BRÓ, período que não só incomoda, como também gera vários problemas de saúde. Como a situação deverá amenizar depois do mês de dezembro, as pessoas devem tomar alguns cuidados com a saúde.

A orientação para quem sofre de problemas respiratórios, como asma, bronquite, sinusite, entre outros, é de que pratiquem atividades físicas antes das 9 horas da manhã e após as 18 horas da tarde, é o que aponta o otorrinolaringologista Flávio Santos.

Onde o clima é mais ameno o ideal é usar umidificadores, principalmente quando se usa ar-condicionado, para melhorar a qualidade do ar e assim ir evitando as crises alérgicas.

O especialista explica que com a baixa umidade do ar, não ocorre toda a fisiologia da respiração, e como os problemas são em decorrência da condição climática, devem ser usados alguns meios que diminuam os efeitos desses problemas.

“O mais importante é hidratar e ter cuidado especial com crianças e idosos. Não esperar que eles peçam líquido”, coloca Flávio Santos ao destacar que é importante ainda ingerir de dois e meio a três litros para hidratar o corpo.

O sistema respiratório é o que mais sofre com as condições climáticas. A região de vias aéreas superiores é a mais afetada pelas altas temperaturas e pela baixa umidade, por alterar a composição do muco, provocando ressecamento da mucosa respiratória, abrindo caminho para as infecções.

Nessas circunstâncias é recomendável também fazer uma lavagem nasal com soro fisiológico, para evitar sangramentos no nariz, e ainda evitar ingerir líquidos mais frios e abrir a geladeira com o corpo suado.

O ar-condicionado, que é usado constantemente nesta época, precisa ser usado com cuidado para não oferecer riscos à saúde devido ao choque térmico.

As mudanças bruscas da temperatura corporal que acontecem quando alguém passa de um ambiente muito frio para um lugar mais quente, ou vice-versa, também geram gripes, problemas respiratórios, além de fortes crises em pessoas que apresentam rinites alérgicas, bronquites, asma e sinusites.

“Essas variações em pouco espaço de tempo causam danos ao nariz, por isso a dica é utilizar recursos que ajudem a umidificar as vias respiratórias, como a aplicação de soro fisiológico ou hidratantes nasais, que são adequados para usar neste período do ano”, finaliza o otorrinolaringologista.

Fonte: Francisco Lima e Aline damasceno