Teresinenses incorporam o espírito natalino e aproveitam a magia do Natal

O Papai Noel dos Correios, como é conhecido, nessa época, Gilvan de Sousa Cardoso, é um bom exemplo de uma pessoa que vive e incorpora o clima do Natal.

Quando o Natal se aproxima e o clima natalino toma conta de toda a cidade. Mas para algumas pessoas, a data já faz parte da própria vida. Esse é o caso dos papais e mamães noel, que fantasiados ou não, com a roupa vermelha característica do bom velhinho, fazem dessa data uma oportunidade de passar adiante todo o sentimento natalino. Em Teresina, nós temos muitas pessoas que se dedicam, com bastante afinco, a essa data.

O Papai Noel dos Correios, como é conhecido, nessa época, Gilvan de Sousa Cardoso, é um bom exemplo de uma pessoa que vive e incorpora o clima do Natal. Há 23 anos ele leva alegria para as crianças de Teresina, através do projeto Papai Noel dos Correios. “Antes mesmo de iniciar nesse projeto dos Correios, eu já fazia algo parecido na minha comunidade, mas por iniciativa própria. Iniciei esse trabalho de distribuir presentes vestido de papai noel porque quando eu era criança sempre ganhava presente, mas ficava triste porque os meus colegas não ganhavam e sempre pensava que quando eu crescesse ia comprar presente para todas as crianças. Hoje sou realizado com esse trabalho que realizo nos Correios”, afirmou.

Quem também cumpre com o papel de levar a magia do Natal para crianças, adultos e idosos são os dois homens que fazem o papel de bom velhinho nos dois shoppings de Teresina. O senhor Pessoa, que encanta as pessoas de todas as idades que passam pelo Teresina Shopping, afirma que há dez anos veste a roupa vermelha e incorpora o espírito do Natal. “Esse trabalho representa muita alegria na minha vida, pois é isso que o papai noel representa para as pessoas. Esse trabalho me traz energia positiva e até o choro das crianças me emociona. E acredito que quando elas choram, é emoção”, pontuou.

Já Severino Ferreira da Silva que, no final do ano, se transforma no papai noel do Shopping Riverside, conta que o gosto pela data e por viver dias de bom velhinho já vem de muito tempo. “Tenho três anos de papai noel do Riverside, mas já faço isso em outras empresas há sete anos. Esse serviço me realiza, me sinto muito bem fazendo isso. Esse é um personagem que leva amor, amizade e fraternidade. A preparação para ser o bom velhinho é espiritual. Só pode fazer um trabalho como esse quem tem um espírito de bondade e quem gosta e tem tranquilidade para lidar com crianças e todas as outras faixas etárias”, pontuou.

Quem também dedica muito tempo da sua vida a essa data é a dona Luzineide Jales, de 79 anos de idade. Ela é dona de um acervo grandioso de peças que remetem ao natal e ao papai noel. Ela foi juntando as peças ao longo dos anos e, nessa época, sua residência se transforma na Casa da Mamãe Noel, que fica aberta ao público e sempre atrai um número muito grande pessoas. Há 18 anos ela abre as portas da sua casa, localizada no bairro Marques, para pessoas de todas as idades. Todos os anos ela tem novidades. Em 2014 ela exibiu mais de dez mil peças.

Fonte: Pollyana Carvalho