Terremoto deixa mortos no Chile, provoca alerta de tsunami e é sentido no Brasil

Terremoto deixa mortos no Chile, provoca alerta de tsunami e é sentido no Brasil

Há pelo menos 78 mortos, segundo balanço do governo do Chile.

O terremoto de 8,8 graus de magnitude que atingiu a região central do Chile na madrugada deste sábado (27) derrubou prédios e deixou ao menos 78 mortos no país, segundo informações oficiais do governo chileno. O tremor foi sentido nos países vizinhos, inclusive no Brasil.

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil de São Paulo informaram que receberam chamados para verificar pequenos tremores em vários bairros da capital paulista. O terremoto, de cerca de um minuto de duração, ocorreu às 3h34 (horário local de verão, o mesmo de Brasília) e estremeceu prédios na capital, Santiago, a 325 km de distância.

Várias regiões da cidade ficaram sem energia e muitos chilenos, com medo, saíram às ruas. De acordo com informações da Reuters, o Aeroporto Internacional de Santiago foi fechado por tempo indeterminado. Linhas telefônicas e sistemas de internet foram afetadas nas localidades próximas à zona do epicentro. Tsunami provocada pelo tremor atingiu a Ilha Robinson Crusoé, próxima a Valparaíso.

Na Ilha de Páscoa, também na costa chilena, foi ordenada a retirada dos moradores por conta do risco de tsunami. O Centro de Advertência de Tsunamis do Pacífico, dos Estados Unidos, afirmou que um tsunami pode causar danos na costa do arquipélago do Havaí.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, declarou "estado de catástrofe" nas regiões de Maule, Bio Bio e La Araucanía. Bachelet também informou que foram enviadas equipes às regiões atingidas, onde as comunicações ainda não estão normalizadas. No Escritório Nacional de Emergência, a presidente pediu calma à população, mas afirmou que o número de vítimas deverá aumentar.

"Com um terremoto dessa força, não podemos absolutamente descartar mais mortes e provavelmente feridos", afirmou a presidente. O terremoto de 8,8 graus de magnitude atingiu a região central do Chile, perto de Concepción, 400 km ao sul de Santiago, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

O mesmo instituto havia divulgado anteriormente que o tremor atingiu 8,3 graus, posteriormente 8,5 graus. O forte tremor levou o Centro de Advertência do Pacífico a emitir alertas para possíveis tsunamis inicialmente para Chile e Peru, posteriormente estendido para Equador, Estados Unidos, Colômbia, toda a América Central, a Polinésia Francesa, além de regiões da Antártida. Pouco após o terremoto atingir o Chile , o Japão também entrou em alerta para possíveis tsunamis. O epicentro do tremor foi localizado no mar, a 59 km de profundidade, em Maule, a 99 km da cidade de Talca.

Vítimas

Segundo o ministro do Interior, Edmundo Pérez Yoma, 34 das vítimas foram registradas na região de Maule, a cerca de 300 quilômetros de Santiago. Na região de Bío Bío, a 500 quilômetros de Santiago, onde se localizou o epicentro do terremoto, foram confirmados ao menos dez mortos, mas o número pode ser maior, segundo o subsecretário da pasta, Patricio Rosende.

O terremoto ocorreu a poucos dias de se completarem 25 anos de outro tremor que causou centenas de mortes e destruiu várias localidades no litoral central do Chile, em 3 de março de 1985.

Fonte: g1, www.g1.com.br