TJ-PI define metas e desafios para avançar na gestão no Estado

O fórum aconteceu nesta sexta-feira (19) e foi promovido pelo TJ


No intuito de definir estratégias para uma gestão mais célere e eficiente no Estado, tal como melhorar o andamento dos processos, o Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) promoveu, ontem, o I Fórum Estadual de Gestão Judiciária, evento que contou com nomes importantes da área, como o conselheiro federal Norberto Campelo, recém-eleito para representar a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na iniciativa também foram explicitados os desafios e as dificuldades para os próximos anos, de modo que os magistrados e servidores possam estar preparados para uma melhor prestação de serviços.

Nesse âmbito, o secretário de Planejamento da entidade, Gleydison Vilanova, enalteceu a continuidade, visando que o modelo estabelecido até 2020 seja cumprido, possibilitando que o trabalho do Judiciário foque na integralidade, sendo aperfeiçoado para as administrações seguintes. “É importante que as novas gestões sigam o que está estabelecido, sob pena de perdermos tempo trabalhando em algo que daqui a dois anos será desfeito. O Judiciário do Piauí precisa de continuidade de gestão”, indicou. Nisso, o desembargador Oton Mário Lustosa relatou que a utilização da tecnologia será primordial no estabelecimento dos avanços, priorizando a evolução dos sistemas, tal como a qualificação dos profissionais que atuam nos órgãos que compõem o Poder.

ATUAÇÃO – Durante o Fórum, o conselheiro Norberto Campelo ressaltou o papel do CNJ na busca por melhorias na atuação dos tribunais no país, confabulando para o envolvimento da entidade não apenas na fiscalização, como também na orientação, priorizando a ajuda no desenvolvimento de todo o sistema. “O CNJ também disciplina a atuação dos juízes e mensura a produção de servidores e magistrados em cada tribunal, estabelecendo metas e fazendo inspeções.S

Fonte: Francy Teixeira