Trânsito será alterado mais uma vez na Av. Higino Cunha

Após quase três meses da inauguração do viaduto na Avenida Higinho Cunha, o trânsito no local continua complicado

Otimizar o intenso fluxo de veículos da zona Sul. Essa foi a proposta da implantação do viaduto da Avenida Higino Cunha. Mas passados quase 3 meses após a inauguração da obra, o trânsito naquela região ainda apresenta problemas: os acidentes e engarrafamentos persistem.


Trânsito será alterado novamente na Avenida Higino Cunha

Após análises, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) informa que alguns ajustes serão executados para melhorar o tráfego naquelas imediações.

A modificação principal acontecerá na Avenida Higino Cunha, pois todos os retornos existentes ali serão eliminados.

Para os condutores que estiverem se deslocando da zona Leste para o Centro de Teresina, a única opção existente será um retorno a ser feito na parte inicial da Avenida Leônidas Melo.

O cruzamento das Avenidas Barão de Castelo Branco e São Raimundo também passará por mudanças que visam tornar mais ágil o trânsito. A rotatória implantada nesse travessia também será retirada, dando lugar a instalação de um sistema semafórico.

De acordo com o chefe de Sinalização da Strans, Ribamar Oliveira, a previsão é que essas alterações sejam feitas urgentemente. E que além delas ?também serão melhorados os tempos dos semáforos e as placas de trânsito, para melhor orientar os motoristas, pois os transtornos naquela região são grandes?.

Ele destaca que as rotatórias são estratégias que contribuem significativamente para melhorar o escoamento de veículos, porém, no referido caso, não está apresentando os devidos resultados. ?Com certeza todo o trânsito daquela área vai ficar melhor após essas mudanças. Vai ter mais fluidez?, sustenta Ribamar.

A necessidade de mudanças como essas se deu após averiguações terem constatado o que vem causando interferências no trânsito. Segundo o chefe de Sinalização da Strans, a direção de trânsito da Superintendência se desloca semanalmente para áreas como essas a serem modificadas para analisar, por exemplo, a quantidade de veículos que circulam em horários de pico.

Fonte: Wherika Carvalho