União decreta emergência por conta de falta de chuvas

Decreto foi assinado na manhã desta terça-feira

O prefeito José Barros decretou na manhã desta terça-feira, 16 ,estado de emergência no município de União. O motivo é a falta de chuvas na região que já provocou perdas de 80 a 100% na maioria das culturas cultivadas pelos agricultores do município.

O município de União tem como previsão anual de chuvas cerca de 1.300 mm durante cinco meses, ou seja, uma média de 260 mm/mês. Em janeiro de 2009 foram registrados nos meses de janeiro, fevereiro e março cerca de 1.254 mm de chuva. No mesmo período em 2010 foi registrado apenas 146,2 mm de chuva até o dia 12 de março.

Com a quantidade de chuvas bem abaixo do esperado o município já registrou perdas de até 100% em algumas lavouras. ?Na cultura do milho temos uma perda média de 89,5%, sendo que em algumas regiões como na comunidade do Centro dos Félix e na Cabeceira da Várzea, a perda chega a 100%?, explica o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Manoel Mariano de Sousa.

Também foram registradas perdas nas culturas de feijão, com uma perda média de 83,5%, chegando a 100% nas comunidades Cabeceira da Várzea, Vale Verde e São Gonçalo, e na cultura do milho atingiu uma perda média de 89,0%, chegando a 100% nas comunidades Cabeceira da Várzea, Vale Verde, São Gonçalo, Côcos, Bela Fonte e Solidão.

Segundo o prefeito José Barros o relatório da Secretaria apontou uma situação crítica e por conta disso foi decretado o estado de emergência no município. ?Este ano a quantidade de chuvas vem se mostrando bem inferior ao esperado, acarretou na perda da lavoura dos agricultores que já haviam realizado plantio?disse.

O Prefeito acrescenta que a agricultura familiar é uma das principais atividades do município, por isso a situação é considerada crítica.Nos próximos toda a equipe vai discutir o problema com a defesa civil do município, do estado e demais autoridades competentes para encontrarem juntos uma forma de auxiliar os produtores da região

Fonte: Ascom/União