Unidade da Agricultura Familiar é inaugurada em Campo Maior

O MDA investiu R$ 747.184,79 reais para execução da Unidade

Na última sexta-feira (03), a Unidade Técnica do Crédito Fundiário da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR) contemplou 20 famílias de agricultores familiares com a inauguração da Unidade Produtiva da Agricultura Familiar Caldeirão, em Campo Maior.

Francisca Maria Costa Oliveira tem 29 anos, faz parte da Comunidade Caldeirão e foi uma das contempladas com essa unidade produtiva. Ela revelou que, desde criança trabalha no campo, mas que de cinco anos para cá houve uma brusca mudança na realidade dos agricultores familiares. “Antes as roças eram pequenas e a gente dependia da chuva para a produção dar certo e, por isso, tínhamos muito prejuízo. Hoje, com o campo irrigado temos muito sucesso com as plantações. O mais importante é que estamos recebendo as chaves das nossas casas. É a realização de um sonho!”, enfatizou a agricultora.

A unidade produtiva foi entregue com energia elétrica instalada, dois poços tubulares com toda estrutura para abastecimento de água, campo agrícola de sequeiro com enriquecimento de solo, sistema de irrigação ativo, casa de farinha, assistência técnica e capacitação inicial. Foi realizada ainda a recuperação de 40 hectares de área degradada com utilização de palha de carnaúba e implantação da cultura de melancia. As cadeias produtivas da avicultura e caprinocultura, desenvolvidas neste local, receberam incentivos com investimento de R$ 65.449,70.

O imóvel possui uma área de 637,24 hectares e recebeu investimentos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) de R$ 747.184,79, sendo que, deste total, R$ 133.999,95 é o valor da terra e esta quantia será reembolsada pelos assentados com desconto de 30%, tendo este valor reduzido para R$ 93.800, a ser pago em 35 anos, com carência de três anos e taxa de juros de 0,5% ao ano.

Para o secretário da SDR, Francisco Limma, o Programa Nacional de Crédito Fundiário avançou muito rápido e o número de inadimplentes é mínimo. “É um investimento relativamente pequeno, se compararmos ao grau de transformação na vida destes agricultores familiares. Este programa faz parte de um projeto federal que visa dar condições aos agricultores rurais de terem sua terra e sua casa para que possam ter uma vida digna no campo”. Francisco Limma ressaltou ainda sobre a importância de produzir para o consumo próprio, mas também para a comercialização; e que, para obter êxito, é fundamental planejar a área e produção.

Estiveram presentes na inauguração a diretora do Crédito Fundiário- PI, Patrícia Vasconcelos; o prefeito de Campo Maior, Paulo Martins; secretários do município; representantes dos sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Campo Maior e do seu entorno; representantes do MDA, do Emater, do Banco do Nordeste e do IFPI.

Fonte: Ascom